Menu

Embaixadora de Omã junta-se a élder Rasband para acender as luzes de Natal no Templo de Washington D.C.

Elder Ronald A. Rasband, à direita, e sua excelência Hunaina Al Mughairy, embaixadora de Sultanato de Omã, à esquerda, ligam o interruptor que iluminou mais de 400.000 luzes brilhantes ao redor do Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, Crédito: Katie Burdick
A filha do embaixador de Lêmen e a neta da embaixadora de Omã cantam músicas de Natal na cerimônia de abertura do dia 3 de dezembro, 2019, do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes. Crédito: Richard Brown
J.W. Marriott, Jr., que apresentou a cerimônia do dia 3 de dezembro, 2019, do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes, fala sobre a missão de Cristo como a Luz do mundo. Crédito: Richard Brown
Da esquerda, senador Mitt Romney, irmã Melanie Rasband e élder Ronald A. Rasband durante a cerimônia de abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. Crédito: Katie Burdick
Da esquerda, Fuad Al Hinai, embaixadora Al Mughairy, élder Ronald A. Rasband e élder Jack N. Gerard após a cerimônia de abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. Crédito: Katie Burdick
Sua excelência Hunaina Al Mughairy, embaixadora de Omã, e élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos, acendem 400.000 luzes para abrir o Festival de Luzes no Centro de Visitantes do Templo de Washington D.C. Crédito: Richard Brown
A Trilha de Incenso de Omã está em exibição no Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. Crédito: Page Johnson
Um conjunto de Natividade do Japão está em exibição no Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. Crédito: Page Johnson
Sandra Turley, solista, canta “Jesus num Presépio” durante a abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. Crédito: Richard Brown
Élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos, ao centro, posa para uma foto com presidente e Sra. David Oryang e amigos após a abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. Crédito: Page Johnson
Gary Clawson rege o Coral do Templo de Washington D.C. na cerimônia do dia 3 de dezembro, 2019, do Festival de Luzes no Centro de Visitantes do Templo de Washington D.C. Crédito: Richard Brown

KENSINGTON, MARYLAND — “A época de Natal é um momento maravilhoso para usar as palavras, ‘obrigado’, e para compartilhar um pouco mais do amor de Deus para toda a humanidade”, élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos, falou a dignitários na cerimônia de abertura do Festival de Luzes no Centro de Visitantes do Templo de Washington D.C., na terça, dia 3 de dezembro.

O evento é uma tradição popular na área de Washington que atrai milhares de visitantes pelo mundo para apresentações musicais grátis, exibições de conjuntos de Natividade e bonecas e uma Natividade de tamanho real narrada do lado de fora.

Assim como tem feito pelos últimos 42 anos, J.W. Marriott Jr. e sua esposa, Donna Marriott, receberam embaixadores e outros diplomatas, líderes religiosos e da comunidade, e membros do Congresso na noite de abertura das atividades. Mauri Earl, diretor de Assuntos Internacionais no Escritório da Igreja de Assuntos Públicos e Internacionais, dirigiu e Rep. John R. Curtis, de Utah, ofereceu a primeira oração. 

A filha do embaixador de Lêmen e a neta da embaixadora de Omã cantam músicas de Natal na cerimônia de abertura do dia 3 de dezembro, 2019, do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes.
A filha do embaixador de Lêmen e a neta da embaixadora de Omã cantam músicas de Natal na cerimônia de abertura do dia 3 de dezembro, 2019, do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes. | Crédito: Richard Brown

O destaque na noite foi a iluminação dos terrenos do templo quando élder Rasband juntou-se à sua excelência Hunaina Al Mughairy, embaixadora de Sultanato de Omã, para ligar o interruptor que iluminou mais de 400.000 luzes brilhantes ao redor do centro de visitantes.

Antes de apresentar élder Rasband, J.W. Marriott falou sobre a natureza e missão do Salvador, que ele disse que foi de “amor, salvação, cura, perdão e paz”. Olhando para uma estátua luminescente de Cristo próxima, ele relembrou à audiência que o Próprio Senhor disse, “Eu sou a luz do mundo”.

Embora élder Rasband tenha preparado um discurso, ele explicou mais tarde que se sentiu tocado a expressar os pensamentos de seu coração no momento. Ele abençoou todos os membros da congregação em suas próprias tradições religiosas ao celebrarem essa temporada de paz.

Compartilhando seu testemunho pessoal de Jesus Cristo, élder Rasband disse que o Senhor não conhece fronteiras como Rei de reis, Senhor de senhores e Príncipe da Paz.

Ele desejava muito que as pessoas encontrassem tempo para a gratidão e o serviço, incentivando as pessoas a irem para o mundo para “fazerem o bem, para edificarem a fé no Deus Onipotente e ajudarem a trazer outros para um lugar mais feliz”.

Ao seguir o mesmo tema, ele parou para agradecer ao casal Marriott por apresentarem o evento, mencionando seus anos de serviço “para a Igreja assim como para toda a humanidade”. Ele também agradeceu aos voluntários da Igreja que haviam prestado assistência e servido a pessoas após um recente terremoto na Albânia. Ele tem viajado extensivamente e contou a história de quando foi para seu reencontro de 50 anos do ensino médio e foi a pessoa que havia viajado para mais países — 138 até agora. Essas viagens tem-no ajudado a desenvolver um maior apreço pela Paternidade de Deus e pela Irmandade de homens e mulheres.

Da esquerda, senador Mitt Romney, irmã Melanie Rasband e élder Ronald A. Rasband durante a cerimônia de abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019.
Da esquerda, senador Mitt Romney, irmã Melanie Rasband e élder Ronald A. Rasband durante a cerimônia de abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. | Crédito: Katie Burdick

Mencionando que existem 168 templos Santos dos Últimos Dias ao redor do mundo, élder Rasband disse que os templos não são exclusivos da religião de Santos dos Últimos Dias. Apesar do Templo de Washington D.C. estar sendo renovado, ele convidou todos a fazerem um tour pelo templo durante um período de casa aberta que acontecerá antes de sua dedicação.

Senador Mitt Romney, de Utah, apresentou a embaixadora Al Mughairy e mencionou que ela era a primeira mulher árabe nomeada para ser uma embaixadora nos Estados Unidos. Ele também se referiu ao tema de luz para este evento.

“A luz é o símbolo de alegria e de poder vivificante, e o Festival de Luzes representa a vitória da luz sobre a escuridão, da esperança sobre o desespero, do bem sobre o mal”, ele disse.

Embaixadora Al Mughairy tem trazido sua família para o Festival de Luzes por muitos anos porque tornou-se uma tradição familiar. 

“Celebrações tradicionais são alguns dos aspectos centrais para algumas culturas”, ela disse, acrescentando que “tradições, memórias preciosas e esperanças compartilhadas são laços que ligam as famílias para sempre”.

Este ano, sua neta e a filha do embaixador de Lêmen sintetizaram os sentimentos de boa ação na sala ao cantarem músicas de Natal com a alegria de crianças. 

O fato de festivais poderem dar tempo de se reavaliar é especialmente importante para a embaixadora Al Mughairy.

“Num nível mais complexo, eles fornecem uma razão culturalmente sancionada para todos pararem, fazerem um balanço de si mesmos, reconhecerem quem escolheram ser em nossas famílias e comunidades, para destacar por nós mesmos como estamos indo, para fazer novas promessas para si mesmos e para outros”.

Élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos, ao centro, posa para uma foto com presidente e Sra. David Oryang e amigos após a abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019.
Élder Ronald A. Rasband, do Quórum dos Doze Apóstolos, ao centro, posa para uma foto com presidente e Sra. David Oryang e amigos após a abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. | Crédito: Page Johnson

Ela discutiu um pouco da história de Omã e seu papel como um negociante pacífico ao longo dos séculos, “dando uma mão a todos”, e ensinando “que nenhuma nação pode se isolar de outras se ela buscar servir apropriadamente seus cidadãos”.

Em especial, ela elogiou um documentário chamado “Estrada Dourada: A Antiga Trilha de Incenso”, que fornece uma visão dos povos do Oriente Médio que “criaram uma sociedade elevada próspera, construíram grandemente na negociação de incenso”.

Uma das exibições no Centro de Visitantes do Templo de Washington D.C. detalha um pouco desta história.

Ela salientou a tolerância religiosa de Omã e um sultanato que garante a liberdade tanto religiosa quanto intelectual para cidadãos e residentes. Seu trabalho como chefe do Centro Cultural Sultan Qaboos em Washington D.C. — um dos muitos desses centros culturais ao redor do mundo — promove uma melhor compreensão da história compartilhada dos E.U.A. e de Omã, que leva a o que ela chama de um “diálogo entre religiões”. 

Numa visita a Utah em 2006, ela juntamente com seu marido, Fuad Al Hinai, um diplomata de carreira, conheceram estudantes da Universidade Brigham Young e da Universidade de Utah e aprenderam sobre o alcance dos serviços humanitários da Igreja. Do terremoto e tsunami na Ásia Leste ao recente terremoto na Albânia, ela disse que a Igreja e os missionários estavam lá para ajudar como “luzes em meio à escuridão”.

Sandra Turley, solista, canta “Jesus num Presépio” durante a abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019.
Sandra Turley, solista, canta “Jesus num Presépio” durante a abertura do Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes na terça, dia 3 de dezembro, 2019. | Crédito: Richard Brown

O Coral do Templo de Washington D.C. apresentou várias músicas sob a direção de Gary Clawson, que completou 20 anos como o regente. Sandra Turley apresentou como solista, com Jan Rothman no violino e Linda Pain acompanhando.

Ao concluir a noite, élder Robert Chappell e irmã Jan Chappell — diretores do Centro de Visitantes, de Houston, Texas — ficaram de pé ao lado da porta para dar adeus enquanto missionários cantavam no lado de fora.

“Que maneira gloriosa de começar o Festival de Luzes anual — num cenário magnificente com tantas pessoas maravilhosas”, irmã Chappell disse. “Para os missionários que serviram lá, foi uma chance de compartilhar seu espírito e amor pelos visitantes de todo o mundo e de sentir aquele amor devolvido com sorrisos gentis e apertos de mão sinceros. Todos foram enriquecidos”. 

Se você for:

O Festival de Luzes no Templo de Washington D.C. e Centro de Visitantes é grátis e acontecerá de 5 de dezembro a 14 de janeiro, das 10 às 21 hrs. O templo está localizado perto da saída 33 de Capital Beltway em 9900 Stoneybrook Drive em Kensington, Maryland.

Em exibição estão 84 Natividades de 66 países, assim como quatro grandes árvores cobertas de bonecas de todo o mundo. Apresentações noturnas incluem conjuntos de sinos, corais, orquestras e mais. Uma Natividade de tamanho real com narração está localizada nos terrenos.

Cerca de 640 voluntários doaram mais de 2.560 horas para organizar todas as decorações e trabalhadores contratados passaram outras 2.400 horas colocando as luzes.

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.