Menu

O que Bispo Keith B. McMullin aprendeu sobre o Salvador e liderança ao servir com seis presidentes da Igreja

Ao longo de seu serviço eclesiástico e profissional, o Bispo Keith B. McMullin encontrou e se esforçou para aplicar as qualidades de liderança dos exemplos e ensinamentos dos últimos seis presidentes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e, mais importante, do próprio Salvador.

“Quando se trata de assuntos temporais, o Salvador advertiu contra torná-los nosso principal objetivo”, disse o Bispo McMullin, presidente e diretor executivo da Deseret Management Corp. [em inglês] e autoridade geral emérita. “O foco está sempre nas necessidades que surgem por meio da fé, do arrependimento e do batismo, e das ordenanças sagradas que todos entendemos serem importantes.” 

Da mesma forma, Jesus Cristo também encorajou Seus seguidores a serem gentis. “Ele nos encorajou a sermos bondosos, honestos e francos, e a trabalharmos pelo que recebemos com honestidade e dedicação.” 

O Bispo McMullin, ex-diretor administrativo dos serviços de bem-estar da Igreja e ex-conselheiro no Bispado Presidente, compartilhou em um recente episódio de podcast do Church News [em inglês] sobre ter tido amplas oportunidades de observar as qualidades de liderança dos profetas-presidentes e aprender sobre as características do Salvador.

“Portanto, vemos os elementos de liderança, em todos os aspectos de nossa vida, nos ensinamentos do Salvador”, disse ele. “Creio que, quanto mais um líder moldar sua vida e seu estilo de vida — e liderança, faculdades e capacidades — segundo os ensinamentos do Salvador, mais bem-sucedido ele será.”

O Bispo McMullin ressaltou lições de liderança específicas que aprendeu com cada um dos últimos seis presidentes da Igreja.

Presidente Spencer W. Kimball.

Spencer W. Kimball

“O que encontrei em Presidente (Spencer W.) Kimball foi um homem com um amor imensurável por outras pessoas, independentemente de suas circunstâncias ou origens”, disse o Bispo McMullin.

“Ele podia elevar homens e mulheres a um nível mais alto do qual se encontravam, porque tinha uma visão do que eles poderiam se tornar, e ele tinha muita consciência do fato de que podia edificar e elevar as pessoas durante o processo.

O Bispo McMullin também observou que Presidente Kimball tinha uma “necessidade de mover as coisas, em vez de apenas falar sobre elas.” 

“Acho que foi Presidente Kimball quem lançou, de diversas maneiras, o alicerce para a aceleração da qual estamos participando agora”, disse ele.

Presidente Ezra T. Benson. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Ezra Taft Benson

Presidente Ezra Taft Benson era um “excelente administrador”. 

“Ele era um homem de grande fé e sabia quais eram suas responsabilidades como Presidente da Igreja”, recordou o Bispo McMullin.

“Ele era um homem amoroso e terno. … Também sentia que ele levava as responsabilidades que pesavam sobre seus ombros, muito a sério e queria que as coisas progredissem de acordo com os propósitos do Senhor sem demora.”

Presidente Howard W. Hunter. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Howard W. Hunter

Durante seu tempo com Presidente Howard W. Hunter, o Bispo McMullin notou a capacidade de promover a “confiança em meio à calma”.

“Ele promoveu a devoção no espírito de amor e bondade, e uma perspectiva eterna em tudo o que se fazia”, disse ele.

Gordon B. Hinckley

Quando o Bispo McMullin serviu como segundo conselheiro no Bispado Presidente, ele trabalhou em estreita colaboração com Presidente Gordon B. Hinckley na supervisão da construção e manutenção dos templos.

Presidente Gordon B. Hinckley. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

“Lembro-me de quando ele esteve nas colônias no México e retornou com a impressão de que deveríamos expandir a construção dos templos. Eu estava sentado em seu escritório, assim como outras autoridades gerais e alguns funcionários”, disse o Bispo McMullin. “Ele começou a descrever o que chamou de um pequeno templo. (…) Ele foi muito cuidadoso em distinguir entre templos maiores e menores. Ele queria que o custo fosse bem mais baixo e que os templos fossem construídos muito mais rapidamente para acelerar as bênçãos que os membros da Igreja poderiam receber.”

No final da reunião, o Bispo McMullin perguntou ao Presidente Hinckley se ele tinha um esboço do que havia descrito. “E ele respondeu: ‘Na verdade, eu tenho.’” 

“Em seguida, ele disse: ‘Estive pensando: devemos ter 100 templos até o ano 2000.’ E todos nós ficamos bastante surpresos com esse objetivo, mas o alcançamos sob sua liderança.

Presidente Thomas S. Monson. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Thomas S. Monson

Presidente Thomas S. Monson “fez mais para me aperfeiçoar do que qualquer outro profeta”, disse o Bispo McMullin.

“Ele sempre foi leal, gentil e atencioso, mas também era um homem que nos ajudava a entendermos o que poderíamos e o que tínhamos que melhorar, o que é algo que passei a amar.”

O amor de Presidente Monson pelas pessoas, especialmente as oprimidas, “não conhecia limites” e foi demonstrado e predominou em todas as decisões que ele tomou.

Presidente Russell M. Nelson. | Intellectual Reserve, Inc.

Russell M. Nelson

Com Presidente Russell M. Nelson, o Bispo McMullin tem aprendido que pormenores não devem interromper a obra.

“Há uma perspectiva sobre o poder e a autoridade do santo sacerdócio, e as bênçãos do templo que é enfatizada em seu ministério, e há bondade e amor, bem como uma compreensão abrangente de como todos os assuntos da Igreja devem e precisam funcionar juntos”, disse ele.

O histórico de Presidente Nelson de atender às necessidades das pessoas, o ajudou a ver uma perspectiva essencial como Profeta, disse o Bispo McMullin. “Como alguém pode operar o coração de uma pessoa sem se sentir comprometido com o bem-estar dela? Acho que ele sentiu tudo isso em suas atividades profissionais e, mais tarde, em suas responsabilidades apostólicas.”

Liderança

O Bispo McMullin também observou vários outros líderes no mundo dos negócios e viu como é fácil permitir que as pressões do ambiente profissional comprometam a virtude da integridade.

“Na minha opinião, existe um elemento de confiança procedente da integridade que não pode ser substituído por nenhuma outra virtude”, disse ele, acrescentando que a integridade é uma das qualidades de liderança que ele mais valoriza. 

Outra qualidade de liderança fundamental é a capacidade do líder de valorizar as pessoas a quem lidera.

“Muitas vezes, as coisas materiais se tornam o aspecto mais importante de uma empresa. Essas coisas podem ser dispositivos que estão sendo produzidos ou lucros apresentados no resultado final. Mas, no final das contas, são as pessoas que têm (e) são de maior valor para empresa”, explicou ele.

Ouça mais: Episódio 72: Bispo Keith B. McMullin fala sobre princípios-chave de liderança cristã que abençoam o trabalho, a vida e a família [em inglês]

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.