Menu

“Quando abençoamos uma pessoa, abençoamos todas”, diz irmã Yee a missionários

Durante um devocional na noite de terça-feira no CTM de Provo, a irmã Yee discursou sobre coligar Israel e ouvir o Espírito

Recentemente, a irmã Kristin M. Yee, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, estava viajando para uma conferência de liderança do sacerdócio, quando problemas mecânicos e climáticos atrasaram seu voo, deixando-a presa em um aeroporto por nove horas.

Durante esse tempo, ela conheceu uma mulher que já havia sido membro da Igreja. A irmã Yee se familiarizou com a mulher — seus interesses, sua família, seu coração — e acabou lhe perguntando se gostaria de ler as mensagens que ela havia preparado para a conferência de liderança.

Ao ler as mensagens, a mulher disse: “Sinto que meu coração está prestes a explodir. Posso senti-Lo falando comigo. Tenho ponderado a respeito dessas coisas. Ele está respondendo.”

A maioria das reuniões da irmã Yee foi posteriormente cancelada. Mas suas mensagens haviam sido preparadas para aquela irmã, disse ela. “Quando abençoamos uma pessoa, abençoamos todas.”

A irmã Yee relatou sua experiência durante um devocional na noite de terça-feira, 4 de abril, no Centro de Treinamento Missionário de Provo. Os missionários que estão se preparando para pregar o evangelho ao redor do mundo ouviram a irmã Yee falar sobre coligar as pessoas no evangelho, uma a uma, e a importância de se ouvir o Espírito.

A irmã Yee contou como seu pai se filiou à Igreja após estudar diversas teologias. Embora nascida na Igreja, sua mãe não teve muito contato com o evangelho até que uma “tia inspirada” pediu à mãe da irmã Yee que viesse morar com ela. A mãe da irmã Yee foi batizada mais tarde.

“Estou diante de vocês porque uma jovem sentiu o Espírito e decidiu seguir seu Pai Celestial, O reconheceu e soube que era Sua filha”, disse a irmã Yee. “Vocês foram chamados para apresentar tal mensagem a esta Terra, para que todos saibam que fazem parte da grande família de Deus. (...) Todos estão incluídos.”

Abençoar as pessoas, uma a uma, é a maneira do Salvador, continuou a irmã Yee, que é o que os missionários fazem conforme coligam Israel.

Ela citou a mensagem de Presidente Russell M. Nelson para a Liahona de outubro de 2022, dizendo: “O Senhor ordenou que pregássemos o evangelho e compartilhássemos o convênio. É por isso que temos missionários. Deus deseja que cada um de Seus filhos tenham a oportunidade de escolher o evangelho do Salvador e entrar no caminho do convênio. (...) Por isso, o trabalho missionário é uma parte essencial da grande coligação de Israel.”

Citando o Devocional Mundial para Jovens de 2018 com Presidente Nelson, intitulado “Esperança de Israel”, a irmã Yee disse que, todas as vezes que os missionários fazem algo que ajude alguém, de ambos os lados do véu, a dar um passo em direção aos convênios, eles estão ajudando a coligar Israel.

Esse passo pode ser tão simples quanto oferecer ajuda, compartilhar um sorriso caloroso ou perguntar a uma pessoa como ela está.

“É sua oportunidade e privilégio buscar revelação para saber qual é esse passo conforme vocês ensinam”, disse ela.

Uma missionária faz anotações durante um devocional com a irmã Kristin M. Yee, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah, na terça-feira, 4 de abril de 2023.
Uma missionária faz anotações durante um devocional com a irmã Kristin M. Yee, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah, na terça-feira, 4 de abril de 2023. | Adam Fondren, para o Deseret News

A irmã Yee também falou sobre a importância da orientação do Espírito, que permite que os missionários vejam e ensinem as pessoas da maneira que elas precisam. Por meio do Espírito, Jesus Cristo pode guiar as palavras e os sentimentos dos missionários, disse a irmã Yee.

“Vocês serão chamados a prestar testemunho de Jesus Cristo de maneira poderosa e pessoal”, disse ela. “Se vocês desejam ser capazes de ensinarem pelo Espírito, a coisa mais poderosa que podem fazer é falar pelo Espírito.”

Ela compartilhou suas próprias experiências ao terminar o ensino médio mais cedo e se mudar para San Francisco, para seguir seu sonho de se tornar artista da Disney. Depois de não frequentar a Igreja por várias semanas, ela sentiu que algo estava faltando em sua vida e usou uma lista telefônica para encontrar a capela mais próxima.

Ao entrar na capela e ouvir o hino “Eu sei que vive meu Senhor”, a irmã Yee disse que sabia que estava em casa. Ela também sabia que o Pai Celestial tinha que fazer parte de sua vida como nunca havia feito antes.

Ela perguntou para onde Ele queria que ela fosse, “e a resposta não foi (em San Francisco)”, disse a irmã Yee. “Foi um outro lugar. E eu orei e supliquei. É isso que fazemos conforme lidamos com tais mudanças.”

A irmã Yee transferiu seus estudos para a BYU-Idaho e, mais tarde, se formou pela Universidade Brigham Young, em Provo. Ela fez um estágio em Arte Conceitual para uma empresa de jogos, que foi posteriormente comprada pela Disney, na qual trabalhou por 13 anos.

A irmã Yee disse que teve que confiar no Pai Celestial que seu destino parecia diferente do que ela havia imaginado.

“Encontrei meu coração em San Francisco. Vocês encontrarão corações em toda esta Terra”, disse ela. “Vocês introduzirão o amor de Deus. Foi isso o que eu senti. É disso que me lembro. E é isso que permanecerá por toda a eternidade.”

Missionários tomam notas durante um devocional com a irmã Kristin M. Yee, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah, na terça-feira, 4 de abril de 2023.
Missionários tomam notas durante um devocional com a irmã Kristin M. Yee, segunda conselheira na presidência geral da Sociedade de Socorro, no Centro de Treinamento Missionário em Provo, Utah, na terça-feira, 4 de abril de 2023. | Adam Fondren, para o Deseret News

A irmã Ashleigh Greenhalgh, que servirá na Hungria, disse que adorou como a irmã Yee lembrou os missionários que eles devem confiar no Senhor.

“Sinto que, às vezes, tenho dificuldades com isso, então foi um lembrete (importante)”, disse ela.

A sister McKayla Langford, que também está indo para a Hungria, acrescentou que, tudo o que a irmã Yee disse, foi exatamente o que ela precisava naquele momento.

“(O Salvador) é quem me coloca nesses momentos, para outras pessoas e para mim mesma”, disse a sister Langford.

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.