Menu

‘Vocês conseguem imaginar’ o ‘lindo dia’ quando nos reuniremos com o Salvador?, Élder Schmutz pergunta aos alunos da BYU

Élder Schmutz compartilha três hábitos pessoais para ajudar as pessoas a se prepararem para um feliz retorno ao lar celestial

Enquanto estiverem no “florescer e vibração do começo da idade adulta”, a morte pode parecer muito distante para se pensar, tornando difícil conectar a maneira como um indivíduo vive nesta vida com a recompensa que receberá na próxima, observou Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral.

“No entanto, essa conexão é absoluta e inevitável”, disse Élder Schmutz durante um devocional da Universidade Brigham Young na terça-feira, 13 de fevereiro.

Falando aos estudantes e professores reunidos no Marriott Center, Élder Schmutz convidou repetidamente os ouvintes a imaginarem o “lindo dia” em que serão levados novamente à presença de Jesus Cristo.

O profeta Alma perguntou: “Podeis imaginar ouvir a voz do Senhor dizendo-vos naquele dia: Vinde a mim, benditos, pois eis que vossas obras foram obras de retidão na face da Terra?” (Alma 5:16).

Uma imagem do Salvador, da série “Vídeos do Livro de Mórmon”, é projetada em uma tela atrás de Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral, enquanto ele discursa durante um devocional no Marriott Center, na Universidade Brigham Young em Provo, Utah, em 13 de fevereiro de 2024.
Uma imagem do Salvador, da série “Vídeos do Livro de Mórmon”, é projetada em uma tela atrás de Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral, enquanto ele discursa durante um devocional no Marriott Center, na Universidade Brigham Young em Provo, Utah, em 13 de fevereiro de 2024. | Abby Shelton, BYU

Élder Schmutz disse: “Vocês conseguem imaginar a imensa alegria, humildade, gratidão e amor que consumirão nossa alma, quando Jesus Cristo, o misericordioso Redentor, nos chamar pelo nome e disser: ‘Vinde a mim, benditos’? Irmãos e irmãs, este será o momento final, transcendente e incomparável de inclusão e pertencimento.”

Embora essa dádiva de inclusão celestial seja oferecida gratuitamente, ela não é dada gratuitamente a todos os filhos de Deus, disse Élder Schmutz. “O dom da vida eterna está reservado para aqueles que aceitam a oferta, cumprindo os convênios feitos na Casa do Senhor.”

A capacidade dos indivíduos de visualizarem a recompensa de Deus para os fiéis diminuirá ou aumentará, em proporção direta à sua obediência, cumprimento dos convênios e disposição de manter Jesus Cristo no centro de sua vida, ensinou Élder Schmutz. “Estou confiante de que Alma pretendia que suas perguntas despertassem em seus ouvintes uma resposta pessoal, uma necessidade de autoavaliação, um compromisso intenso de aprender e fazer tudo o que for necessário para vivenciar aquele momento. Elas despertaram tais sentimentos em vocês?”

Élder Schmutz discutiu então três hábitos pessoais que as pessoas podem incorporar para ajudar a se prepararem para um retorno feliz ao seu lar celestial.

Alunos e professores se reúnem para ouvir um devocional com Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral, no Marriott Center, campus da Universidade Brigham Young em Provo, Utah, em 13 de fevereiro de 2024.
Alunos e professores se reúnem para ouvir um devocional com Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral, no Marriott Center, campus da Universidade Brigham Young em Provo, Utah, em 13 de fevereiro de 2024. | Ashlee Jarvis, BYU

Primeiro, reserve um tempo para estar na Casa do Senhor

Na Casa do Senhor, os santos dos últimos dias aprendem sobre seu lugar no plano de salvação e sobre o papel essencial do Salvador Jesus Cristo. “Aprender na Casa do Senhor nos ajuda a imaginar o encontro com Deus”, disse Élder Schmutz.

A disposição de guardar convênios sagrados com Deus feitos na Casa do Senhor dá continuidade a um processo de convidar o poder de Deus para a vida de uma pessoa. “O acesso ao poder de Deus inclui o espírito de revelação e a capacidade de ‘ver’ o que não é visto. Isto aumenta nossa capacidade de atender ao convite de Presidente [Russell M.] Nelson de ‘pensar celestial’” (“Pensem celestial!”, conferência geral de outubro de 2023).

Quanto mais os santos dos últimos dias frequentam o templo e participam sinceramente, mais reveladora se torna a experiência, disse Élder Schmutz.

Em segundo lugar, ‘leve sua experiência para casa’

No templo, a doutrina verdadeira e os princípios eternos são ensinados por meio de símbolos sagrados. Ao saírem, os membros da Igreja têm o privilégio de levar consigo um símbolo do templo: os garments do santo sacerdócio, explicou Élder Schmutz.

Presidente Nelson ensinou: “Seus garments simbolizam o véu [do templo]; o véu é um símbolo do Senhor Jesus Cristo. Portanto, ao vestir seus garments, vocês podem sentir que estão realmente colocando sobre si mesmos o símbolo muito sagrado do Senhor Jesus Cristo” (Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022).

Élder Schmutz incentivou os ouvintes a “receberem os garments com alegria e vesti-los com reverência.” Aqueles que procuram os momentos e as atividades para retirarem os garments, em vez de procurarem formas de mantê-los vestidos, correm o risco de anular o propósito simbólico e o significado dos garments, disse ele.

A recomendação para o templo também é um lembrete simbólico do compromisso individual de guardar os convênios, continuou Élder Schmutz. “Nossa recomendação para o templo é um símbolo tangível de dignidade pessoal e de nosso desejo de estar na Casa do Senhor. Nunca deixem passar um dia sem que ela esteja válida.”

Outra maneira de levar a experiência do templo para casa é lembrar-se dos convênios feitos em nome de Jesus Cristo. “Convido-os a fazerem disso uma prática diária”, disse Élder Schmutz. Fazer isso em sua própria vida “provocou muitas experiências espirituais sagradas.”

Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral, discursa durante um devocional realizado no Marriott Center, na Universidade Brigham Young em Provo, Utah, na terça-feira, 13 de fevereiro de 2024.
Élder Evan A. Schmutz, Setenta Autoridade Geral, discursa durante um devocional realizado no Marriott Center, na Universidade Brigham Young em Provo, Utah, na terça-feira, 13 de fevereiro de 2024. | Abby Shelton, BYU

Terceiro, procurem a cidade do Deus vivo

“Deus sabe que não podemos imaginar um lar celestial que não tenhamos visto, ou sobre o qual não tenhamos ouvido falar”, disse Élder Schmutz.

Nas escrituras, porém, as pessoas podem estudar a glória que Deus preparou para Seus filhos fiéis. “O conhecimento da cidade celestial de Deus é motivador. Isso aumentará sua capacidade de imaginar com fé”, disse Élder Schmutz.

Quando a recompensa prometida da próxima vida se torna tão real que motiva todas as ações, os indivíduos estão se aproximando do seu lar celestial. “Se conseguem imaginar a cidade do Deus vivo, vocês conseguem [também] imaginar o tipo de pessoas que a habitam?”, Élder Schmutz continuou.

Aqueles que habitam na cidade do Deus vivo estão na presença de Deus e de Jesus Cristo para todo o sempre, rodeados por um incontável grupo de anjos, herdeiros e governantes no reino de Deus. “Vocês podem se imaginar sendo um deles? Oh, meu coração implora, deixe que este seja eu”, disse Élder Schmutz.

Concluindo, ele testificou sobre “a realidade de um dia feliz e de alegria que está por vir para os fiéis, que ouvem a voz do Senhor lhes falando: ‘Vinde, benditos’. Que vocês sejam abençoados ao imaginarem e vivenciarem esse momento em sua vida eterna.”

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.