Menu

Rev. Teal, capelão anglicano de Oxford, defende ‘construção de comunidade’ durante fórum da BYU

Rev. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa para um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021. Crédito: Jaren Wilkey/BYU
Estudantes da Brigham Young University participam do fórum do dia 26 de outubro de 2021, com a presença do Rev. Andrew Teal. Crédito: Jaren Wilkey/BYU
Rev. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa para um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021. Crédito: Jaren Wilkey/BYU
Rev. Dr. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa em um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021. Crédito: Jaren Wilkey/BYU

Em um momento global aparentemente definido pela destruição e divisão, um sacerdote anglicano ensinou lições sobre a construção de “comunidades amadas” aos estudantes da Universidade Brigham Young na terça-feira.

Rev. Andrew Teal, capelão e teólogo especializado em História da Igreja Cristã no Pembroke College da Universidade de Oxford, proferiu o discurso do fórum do dia 26 de outubro no Marriott Center. O clérigo está passando o outono [no hemisfério norte] na BYU a convite de seu amigo, Élder Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Doze Apóstolos.

“É um grande privilégio estar aqui diante de toda sua força verdejante de juventude e ser capaz de refletir com vocês o que significa para nós nos esforçarmos para construirmos uma comunidade amada”, disse ele. “No mês passado, Martin Luther King III introduziu esta série de fóruns, refletindo sobre como podemos nos tornar uma comunidade amada.”

O Rev. Teal reconheceu que é natural querer ser amado e compreendido por outras pessoas. Mas sua primeira obrigação é expressar seu amor por seu público.

“Em 2 Néfi 1:25, um texto que está guardado em meu coração desde que o li pela primeira vez, fica claro que o testemunho do Livro de Mórmon sobre a veracidade de Jesus Cristo não é manipulação, ou o desejo de exercer poder e a autoridade sobre os outros; mas ver e celebrar a glória de Deus em serviço e amor.”

Neste versículo de escritura santo dos últimos dias, o pai Leí confronta seus filhos rebeldes por acusarem seu irmão mais novo, Néfi, de buscar poder e autoridade sobre eles. Em vez disso, Néfi buscou “a glória de Deus”. Ele estava preocupado com o bem-estar eterno de seus irmãos.

Deus está chamando Seus filhos para fazerem parte de uma  comunidade amada, ensinou o Rev. Teal.

“O Senhor nos chamou porque Ele simplesmente não consegue tirar Seus amorosos olhos de nós. Portanto, precisamos refletir a respeito dessa maravilha. Precisamos mostrar a todas as pessoas — independentemente de cor, credo, origem, sexo e orientação sexual — que o Senhor as ama. Essa é a base. Não temos que construir isso, pois é um fato.”

Rev. Dr. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa em um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021.
Rev. Dr. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa em um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021. | Crédito: Jaren Wilkey/BYU

As comunidades religiosas do passado, com suas várias diferenças, às vezes foram rápidas demais para falarem e julgarem, e lentas demais para ouvirem e comunicarem o amor de Deus.

“Hoje falamos de uma cultura de cancelamento, que demoniza deliberadamente as pessoas com quem discordamos. Mas algumas das abordagens de nossas diferentes comunidades religiosas, em relação às minorias ou pessoas impotentes têm, de fato, alimentado esta resposta. Portanto, temos que ouvir, aprender e amar.”

Ninguém deve ser ferido ou machucado na “montanha sagrada do Senhor”, acrescentou ele. Não explorem os vulneráveis ou conspirem com opressão ou crueldade. Protejam os vulneráveis.

Eliminem a contenda 

O Rev. Teal, que leu o Livro de Mórmon várias vezes, falou sobre o empenho do rei Benjamin para eliminar a contenda da Terra. O rei inspirou seu povo a armar suas tendas em direção a Deus e ao templo.

Criar uma comunidade amada significa começar de novo diariamente na construção de uma comunidade amada, disse ele, acrescentando que pode ser difícil.

“Mesmo dentro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, algumas pessoas podem se afastar de certas consequências de fazerem parte de uma igreja restaurada com um profeta vivo, e não querem enfrentar a dificuldade de negociar mudanças. 

“Isso não é novidade. Pensem nas duas declarações no final de Doutrina e Convênios — como elas refletem o grande trauma e a tarefa profética de cuidado pastoral das pessoas que enfrentaram mudanças radicais em relação ao casamento plural, à raça e ao sacerdócio. Enfrentarmos mudanças juntos é essencial para esta Igreja.”

Ataques foram feitos na internet contra a Igreja Católica Romana, o Anglicanismo e outras religiões. Uma agressão online semelhante tem se concentrado em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e na BYU.

Sempre tenham cautela, advertiu o Rev. Teal.

“Se nos tornarmos os acusadores de nossos irmãos e irmãs — e até mesmo chamarmos os membros desta universidade com quem discordamos de ‘apóstatas’ — eis uma simples pergunta de teste: em tudo o que fazemos, estamos sendo defensores de nossos irmãos e irmãs e da verdade, ou caímos no papel e na natureza do acusador? 

“Lembrem-se de que nosso Senhor é sempre o Advogado; já o inimigo é sempre nosso acusador.”

Estudantes da Brigham Young University participam do fórum do dia 26 de outubro de 2021, com a presença do Rev. Andrew Teal.
Estudantes da Brigham Young University participam do fórum do dia 26 de outubro de 2021, com a presença do Rev. Andrew Teal. | Crédito: Jaren Wilkey/BYU

Em meio às contendas do dia, “nossa tarefa” é compartilhar amor e companheirismo. Descubram maneiras de fazer com que cada momento seja um meio de “convidar todas as pessoas para conhecerem as verdades mais profundas da vida; para fazerem parte de uma comunidade amada, que toma até mesmo nossas energias e dons inadequados e os usa para construir um reino com Cristo.”

Façam com que cada momento, acrescentou ele, “seja uma porta pela qual o Messias possa entrar.” O conhecimento não deve levar ao cinismo. “Ao contrário, é uma oportunidade para nos tornarmos amigos e discutirmos assuntos como adultos.”

O Rev. Teal falou sobre divisões entre credos religiosos — que discutem, por exemplo, se o Espírito proveio ou não do Pai e do Filho, ou apenas do Pai. Mas o conhecimento compartilhado pode beneficiar a todos. Ele pode ir além do facciosismo. Ele pode ser fundamentado na amizade, no compromisso, na confiança e na verdade.

A verdadeira amizade faz todos os tipos de perguntas — perguntas para as quais ainda não sabemos as respostas”, disse ele. “Confio em vocês e os amo, e quero fazer muitas perguntas ,à medida que viajo com vocês, com um coração ansioso, trazendo outras belas pessoas da minha e de outras comunidades religiosas comigo; para que elas possam partilhar da riqueza, da bondade e da veracidade que me tocaram profundamente.”

Tomando passos de cura

O sacerdote anglicano disse ter sido elevado pela bondade demonstrada pelos santos dos últimos dias, que o convidaram para fazer parte de sua comunidade ao “viajarem juntos” e compartilharem a bênção da construção de comunidades. Ele mencionou as possibilidades de uma futura “profunda colaboração” entre o Pembroke College da Universidade de Oxford e a BYU.

O Rev. Teal foi hospitalizado por quase um mês após sofrer queimaduras graves em seus pés [em inglês], quando caminhou descalço sobre um pátio com revestimento refletor de calor em Orem, Utah. Ele teve que fazer vários enxertos de pele enquanto estava sendo atendido na unidade de queimaduras do hospital da Universidade de Utah. Seu relacionamento inesperado com médicos, enfermeiras e outros pacientes aprofundou sua compreensão a respeito da construção de uma comunidade.

“Sermos capazes de amar as pessoas que nos ajudam a crescer e que estão conosco em nossa dor é um belo exemplo da natureza e do custo da construção de uma comunidade amada.”

Rev. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa para um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021.
Rev. Andrew Teal, capelão anglicano e teólogo do Pembroke College da Universidade de Oxford, discursa para um fórum no Marriott Center no campus da BYU, no dia 26 de outubro de 2021. | Crédito: Jaren Wilkey/BYU

Telefonemas diários e várias visitas de seu amigo, Élder Holland, ao hospital também levantaram seu ânimo.

Ele ainda não sabe o que acontecerá com a recuperação de seus pés. Uma solução simples — que resolvesse tudo agora mesmo — seria ideal. 

Mas “essa não é a série de unções e selamentos que tive a bênção de receber”, disse ele. “É bem possível que eu tenha que voltar ao hospital e ter mais algum tecido removido, talvez até mesmo um dedinho do pé. … Não me interpretem mal, eu gosto muito dele no meu pé, mas tendo dado os primeiros passos da fé, podemos dar passos mais difíceis.”

Ele está aprendendo que o discipulado cristão não é apenas algo a ser alcançado — de uma única vez. “Em vez disso, é o processo de aprendermos a caminhar, passo a passo. À medida que o caminho se torna mais íngreme, estamos mais preparados para darmos esses passos difíceis, reconhecendo que é uma ascensão infinita ao próprio ser do Pai no Filho, pelo poder do Espírito Santo.”

Concluindo, o Rev. Teal disse que seu amor pelo Salvador cresceu por meio de sua amizade com a comunidade santo dos últimos dias.

Quero levar isso para a bela e diversa família de cristãos (e para pessoas de todas as crenças) para que possamos viajar juntos, mesmo através de montanhas íngremes, o que nos levará a sermos abençoados juntos.”

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.

Professores podem agora registrar a frequência às aulas por meio do aplicativo Ferramentas do Membro.

Estes novos presidentes de missão e respectivas companheiras foram chamados a servir pela Primeira Presidência. Eles começarão seu serviço em julho.

A turnê do Coro do Tabernáculo pelas Filipinas começa com jovens apresentando danças tradicionais. Esta é a segunda parada da turnê “Hope” e a primeira vez do coro nas Filipinas.

Neste vídeo do Church News, “O êxodo de Nauvoo”, líderes e membros na histórica Nauvoo, Illinois, homenagearam os primeiros membros da Igreja, enquanto caminhavam cerca de dois quilômetro pela Parley Street, indo até o rio Mississippi.

Membro da Igreja no Alabama, Mary Helen Allred se sente feliz por poder usar o ServirAgora para continuar um legado de serviço

Estes novos presidentes e diretoras de templo foram chamados para servir pela Primeira Presidência. Eles começarão seu serviço em setembro, ou quando os templos forem dedicados.