Menu
Global

Restaurando olhos e vidas por meio da iniciativa global da Igreja de cuidados oftalmológicos

Uma fila de pacientes em Gana que tiveram a cirurgia de remoção de catarata sob o patrocínio dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros globais. Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias
Halima, uma moradora da Tanzânia, teve sua visão restaurada graças a uma cirurgia de catarata proporcionada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros. O procedimento doado permitiu que Halima e sua família pudessem desfrutar Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias
Dr. John Welling, um oftalmologista que trabalha com o Himalayan Cataract Project [Projeto de Catarata do Himalaia], um parceiro dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias, recebe um paciente em Gana, durante um projeto de cuidados oftalmológico Crédito: Foto cortesia de Annie Kirk
A cirurgia de catarata proporcionada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros ajudou a melhorar a visão de um menino de 8 anos de idade chamado Taonga, em Malawi. Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias v
Um voluntário com a organização Orbis, parceira dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias, realiza um exame oftalmológico na Zâmbia, em outubro de 2020. Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias

Uma citação, atribuída ao cientista americano George Washington Carver, ensina que “Onde não existe visão, não há esperança.”

Halima, uma senhora idosa de um pequeno vilarejo na Tanzânia, certamente compreenderia a observação feita por Carver de maneira profundamente pessoal.

Vários anos atrás, Halima começou a ficar cega após desenvolver cataratas bilaterais. Até mesmo tarefas básicas, como sair da cama, se tornaram difíceis. Ela logo passou a depender de uma sobrinha para obter cuidados em tempo integral.

Por fim, Halima ficou completamente cega. Ela recorda sentir como se estivesse em um profundo sono perpétuo, esperando despertar a cada dia.

“Quero apenas ser independente — fui durante toda minha vida, mas agora me sinto completamente inútil”, disse ela na época.

Então, um milagre visitou Halima e sua família. A mulher tanzaniana foi identificada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros locais em seu país da África Oriental, como candidata para uma cirurgia de catarata gratuita. Trabalhando sob os auspícios da iniciativa oftalmológica global da Igreja, um time de experientes profissionais médicos realizou a cirurgia em Halima.

Halima, uma moradora da Tanzânia, teve sua visão restaurada graças a uma cirurgia de catarata proporcionada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros. O procedimento doado permitiu que Halima e sua família pudessem desfrutar de maior autossuficiência.
Halima, uma moradora da Tanzânia, teve sua visão restaurada graças a uma cirurgia de catarata proporcionada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros. O procedimento doado permitiu que Halima e sua família pudessem desfrutar de maior autossuficiência. | Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias

A cirurgia de remoção de catarata é um procedimento médico seguro, comum e de baixo custo. Ela possui uma taxa de sucesso alta e quase imediata. Mas, para pacientes como Halima, as cirurgias patrocinadas pela Igreja nunca são ordinárias. As cirurgias são eventos que “mudam a vida.”

Cirurgias simples que restauram a visão impactam indivíduos e suas famílias de maneira positiva por gerações. Após a cirurgia de catarata, pacientes como Halima — e seus cuidadores — geralmente redescobrem a autossuficiência, a liberdade econômica e o simples prazer de ver a vida acontecer com nitidez.

Melhorando vidas — um olho de cada vez

Há vários motivos pelos quais os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias dão prioridade à sua iniciativa contínua de cuidados oftalmológicos. 

Um voluntário com a organização Orbis, parceira dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias, realiza um exame oftalmológico na Zâmbia, em outubro de 2020.
Um voluntário com a organização Orbis, parceira dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias, realiza um exame oftalmológico na Zâmbia, em outubro de 2020. | Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias

Para começar, mais de 770 milhões de pessoas no mundo sofrem de perda de visão que poderia ser prevenida ou tratada, de acordo com relatórios dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias. Mais de 100 milhões de pessoas têm cataratas semelhantes às de Halima. Milhares de outras possuem erros de refração não corrigidos e usam, ou se beneficiariam do uso, de lentes corretivas, como óculos de grau.

O objetivo da iniciativa dos cuidados oftalmológicos da Igreja é simples: melhorar a qualidade de vida de pessoas como Halima, e tantas outras que sofrem das causas mais predominantes de perda de visão, por meio do fortalecimento dos sistemas de provisão, e, ao mesmo tempo, aumentar o acesso e a qualidade dos serviços básicos de tratamentos oftalmológicos.

A grande maioria das pessoas beneficiadas pela iniciativa de cuidados oftalmológicos da Igreja são tratadas em seus próprios países e comunidades, geralmente por profissionais de saúde locais. 

No passado, times de oftalmologistas geralmente viajavam para regiões do mundo onde as pessoas tinham acesso limitado a cuidados oftalmológicos, como cirurgias de catarata. Tais missões ainda acontecem, mas agora, grande parte do trabalho está sendo realizado por profissionais locais, muitos dos quais foram treinados por oftalmologistas patrocinados pela Igreja.

Vários procedimentos são realizados utilizando o equipamento cirúrgico mais atual fornecido pela Igreja.

Assim como outras iniciativas dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias, parcerias globais com outras organizações humanitárias, tais como a Sightsavers, a Orbis International e o Himalyan Cataract Project, são vitais ao sucesso do programa de visão. Os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias também trabalham com profissionais locais e ministérios nacionais de saúde para encontrarem e providenciarem maneiras mais eficazes para servirem o maior número de pessoas possível.

Essas parcerias “locais” “podem proporcionar uma abordagem mais holística para maior sustentabilidade e impactos duradouros”, disse Annie Kirk, agente do programa para portadores de deficiência dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias.

A cirurgia de catarata proporcionada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros ajudou a melhorar a visão de um menino de 8 anos de idade chamado Taonga, em Malawi.
A cirurgia de catarata proporcionada pelos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e seus parceiros ajudou a melhorar a visão de um menino de 8 anos de idade chamado Taonga, em Malawi. | Crédito: Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias v

Projetos de cuidados oftalmológicos foram implementados nos seguintes continentes e regiões: África, América do Sul, Caribe, Ásia, Ilhas do Pacífico e Europa Oriental.

Nos últimos anos, por exemplo, os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias e o Himalayan Cataract Project [Projeto de Catarata do Himalaia] forneceram materiais e serviços para milhares de cirurgias de catarata em Gana. Ao mesmo tempo, 13 centros no país receberam treinamento em cirurgia de catarata em alto volume durante eventos assistenciais. Equipamento cirúrgico também foi doado a vários centros.

E em Malawi, nação do sudeste africano, os Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias estão trabalhando em parceria com a organização Sightsavers, em um projeto de expansão de serviços de saúde ocular em sete distritos do sul. Entre julho de 2019 e junho de 2020, mais de 130 mil pessoas fizeram exames para detectar perda de visão, e 924 indivíduos — incluindo 159 crianças — receberam cirurgia para restaurar a visão.

Kirk participou em um projeto dos Serviços de Caridade dos Santos dos Últimos Dias em Gana, “onde foram realizadas 705 cirurgias de catarata em apenas uma semana.” Ela jamais esquecerá a alegria e as lágrimas dos pacientes, cuja visão foi restaurada após anos de deficiência visual.

“Cristo Curando um Homem Cego”, de Del Parson.
“Cristo Curando um Homem Cego”, de Del Parson. | Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Seguindo o exemplo Daquele que nos cura

Para os cristãos, obviamente, o ato de restaurar a visão carrega uma profunda ressonância espiritual. Essa conexão divina não se perdeu com Kirk e seus sócios.

Durante seu ministério mortal, Jesus Cristo curou o cego. Em João 9, o Salvador declarou que Ele era “a luz do mundo”, antes de fazer lodo com seu próprio cuspe e untar os olhos de um homem que era cego de nascença.

Então, o Senhor mandou que o homem se lavasse no tanque de Siloé. Com obediência, o homem seguiu Sua orientação e foi curado. Pela primeira vez em sua vida, ele pode ver.

As lições aprendidas com essa cura sagrada são muitas — mas, talvez a mais proeminente delas seja a promessa de que esperança e “visão” espirituais aguardam todas as pessoas que cumprem Seus mandamentos.

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.

Milhares de pessoas ouvem mensagens de Élder David A. Bednar e de Élder Patrick Kearon durante seu ministério na Nigéria, Gana, Libéria e Costa do Marfim

O que as cantoras Lea Salonga e Ysabelle Cuevas e as personalidades da TV Suzi Entrata-Abrera e Paolo Abrera, disseram sobre se apresentar com o Coro do Tabernáculo na Arena MoA esta semana

O ministério de nove dias de Élder Neil L. Andersen nas Filipinas incluiu uma visita guiada com os jovens ao Templo de Alabang Filipinas, distribuição de cadeiras de rodas, celebrações de doações da iniciativa Seja a Luz do Mundo e reuniões com membros e missionários

As experiências compartilhadas criam “inclusão em uma comunidade global de irmãs da Sociedade de Socorro”, disse a presidente Camille N. Johnson.

Anúncios de estacas novas e reorganizadas ao redor do mundo

Durante o concerto de música sacra do Coro e Orquestra do Tabernáculo, em uma universidade católica centenária nas Filipinas, quatro jovens de diferentes origens religiosas compartilharam como a oração os ajuda.