Menu

Élder Stevenson oferece seis princípios orientadores ao se utilizar ‘Pregar Meu Evangelho’

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Em junho de 2004, presidente Gary E. Stevenson e sua esposa, a irmã Lesa Stevenson, estavam participando do Seminário para Novos Líderes de Missão, no Centro de Treinamento Missionário de Provo, se preparando para servir como líderes da Missão Japão Nagoya.

No mesmo seminário daquele ano, os líderes da Igreja apresentaram o manual “Pregar Meu Evangelho”, uma publicação de 230 páginas supervisionada pela Primeira Presidência e pelo Quórum dos Doze Apóstolos, que prepara e orienta os missionários de tempo integral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, através de todos os aspectos do trabalho missionário, em um esforço unificado.

Dezoito anos e 4,3 milhões de cópias publicadas depois, Élder Stevenson, agora membro do Quórum dos Doze Apóstolos, ensinou os méritos de “Pregar Meu Evangelho” aos recém-chamados líderes de missão que participam do Seminário de 2022, elogiando o manual, compartilhando experiências pessoais e compartilhando o testemunho de líderes de missão atualmente em serviço.

Leia mais resumos de discursos e veja fotos do Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022 aqui

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. | Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

“’Pregar Meu Evangelho’ é celestial”, disse Élder Stevenson durante seu discurso na sexta-feira, 24 de junho. “Ele está cheio de tesouros para abençoar cada um de vocês em seu ministério, e também seus missionários.”

Ele começou sua mensagem ensinando, sem qualquer roteiro ou anotações, a primeira lição para novos líderes de missão, conforme descrito em “Pregar Meu Evangelho”, compartilhando as verdades claras e preciosas do evangelho de Jesus Cristo, incluindo um Pai Celestial amoroso, Seu plano de felicidade, a necessidade de um Salvador, a Expiação de Jesus Cristo, a Apostasia e a Restauração, em conjunto com o poder do sacerdócio e profetas e apóstolos.

O apóstolo usou sua breve demonstração de ensino como exemplo do primeiro dos cinco princípios orientadores sobre o uso de “Pregar Meu Evangelho”. Eles são:

  • Compreender completamente as lições e ensinar pelo Espírito
  • Seu relacionamento pessoal com “Pregar Meu Evangelho”
  • Uma cultura missionária centrada em Cristo e apoiada com “Pregar Meu Evangelho”
  • “Pregar Meu Evangelho” como seu recurso rápido
  • “Pregar Meu Evangelho” para responder perguntas e resolver preocupações

1. Compreender completamente as lições e ensinar pelo Espírito

Primeiro Élder Stevenson leu Doutrina e Convênios 50:13-14, a escritura tema do título do manual: “Portanto, eu, o Senhor, faço-vos esta pergunta: Para que fostes ordenados? Para pregar meu evangelho pelo Espírito, sim, o Consolador que foi enviado para ensinar a verdade.”

Ele estima ter usado o esboço da primeira lição “talvez mais de cem vezes” ao compartilhar o evangelho com outras pessoas. “Para mim, não há nada que demonstre e personalize tanto a bênção quanto ao poder de ‘Pregar Meu Evangelho’ do que ensinar as lições encontradas no Capítulo 3 deste guia inspirado. Seu propósito, por trás de seu nome, ganha vida quando ensinamos a partir dele.”

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. | Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Ele acrescentou: “Presto meu testemunho de que isto pode ser feito com grande eficácia por cada um de seus missionários. Compreender as lições irá abençoar, não apenas aqueles que eles ensinam, mas cada um deles — como aconteceu comigo — por toda a vida.”

Para os demais princípios, Élder Stevenson usou videoclipes de alguns casais de presidentes de missão e companheiras que estão servindo atualmente, compartilhando suas experiências e ideias.

2. Seu relacionamento pessoal com “Pregar Meu Evangelho”

O presidente Greg Droubay, da Missão Virgínia Richmond disse: “O ponto de partida para usarmos ‘Pregar Meu Evangelho’ de forma eficaz foi realmente nosso próprio relacionamento com este manual. Faz parte de nosso estudo diário e, em combinação com as escrituras, é para onde vamos quando buscamos orientação sobre o que a missão precisa, ao procurar melhorar nossos esforços para ajudar a promover a obra do Senhor.

“E para nós, líderes de missão, é um recurso importante para convidar consistentemente a revelação. Como Kim [sister Kim Droubay] e eu estudamos e aprendemos com ‘Pregar Meu Evangelho’ todos os dias, somos capazes de usá-lo com credibilidade com nossos missionários, e o fazemos com poder espiritual enquanto tentamos ajudá-los a fazer a mesma coisa na vida deles.”

3. Uma cultura missionária centrada em Cristo e apoiada por “Pregar Meu Evangelho”

O presidente Peter Johnson, da Missão Inglaterra Manchester disse: “Pregar Meu Evangelho’ é vital para o sucesso de nossos missionários, para ajudar a edificar seu testemunho, sua compreensão de como fazer o trabalho missionário, e entender o porquê do trabalho missionário. Desde o primeiro dia que vemos os missionários, começamos no Capítulo 1 em nosso treinamento, em nossa orientação para novos missionários, e falamos sobre o propósito missionário, que é centrado e baseado na doutrina de Cristo. Nós os ajudamos a perceberem esta conexão. Sabemos que eles aprendem no CTM que convidamos, ajudamos [outros] a virem a Cristo, mas eles sabem que isto é baseado na doutrina de Cristo e fé em Jesus Cristo e Sua Expiação?

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. | Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

O presidente Jeffrey Morrin, da Missão Brasil São Paulo Interlagos, acrescentou: “Descobrimos que quanto mais falamos e utilizamos os princípios de ‘Pregar Meu Evangelho’, mais os missionários farão o mesmo.” Ele acrescentou que eles dão ênfase a seus missionários treinadore em “Pregar Meu Evangelho”, para usarem no planejamento e estudo pessoal e estudo com o companheiro, direcionando os novos missionários ao propósito missionário e o que define um missionário de sucesso, conforme encontrado no Capítulo 1.

O presidente Leonard Woo, da Missão Cingapura, disse que seus missionários memorizam e internalizam uma promessa pessoal: “Somos missionários centrados em Cristo e guiados pelo Espírito.” Todo o plano de treinamento da missão é baseado em “Pregar Meu Evangelho”, desde conferências de zona, até treinamentos de liderança. E a missão enfatiza o estudo de todo o manual e todas as escrituras associadas a ele.

4. “Pregar Meu Evangelho” como seu recurso rápido

O presidente Matthew Hurley, da Missão Idaho Idaho Falls, disse: “Quando damos nossas primeiras instruções, não fazemos muita coisa que não esteja em ‘Pregar Meu Evangelho.’ E nós os ensinamos e dizemos desde o início qual é o nosso objetivo. E desde o início, criamos este objetivo, que é ser a melhor missão do mundo a utilizar ‘Pregar Meu Evangelho.’”

A sister Rita Woo, da Missão Cingapura, chamou o guia de “salva-vidas”, que ela ama, cita e usa com frequência. “Acho muito útil como nova líder de missão, porque não tenho experiência de ter servido uma missão. Acredito que estaria perdida sem ele. …Ele me ajuda a saber o que fazer.

Sister Droubay acrescentou: “Nas conferências de zona, ou sempre que uma habilidade ou princípio é ensinado e demonstrado, é sempre inspirado em um princípio encontrado em ‘Pregar Meu Evangelho.’ A mesma abordagem é aplicada em nosso Conselho de Liderança de Missão, pois nos concentramos em habilidades e princípios.”

5. “Pregar Meu Evangelho” para responder perguntas e resolver preocupações

O presidente Christopher Thomas, da Missão México Cidade do México Noroeste, disse que, ao sair para ensinar com os missionários, vê tendências em desenvolvimento e áreas onde é necessário melhorar, e depois acompanha as reuniões do conselho do distrito e conferências de zona.

Ele deu um exemplo: “Percebi que não estávamos convidando [para o batismo] da maneira mais eficaz possível. Vi convites que iam do tipo ‘Talvez você queira ser batizado.’ Nós conversamos sobre como isto não é o que eles têm estudado em ‘Pregar Meu Evangelho’ e que então se tornaria um foco: convites poderosos com uma pergunta direta, bênçãos prometidas, testemunho e acompanhamento. Isto está no capítulo 11.”

Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022.
Élder Gary E. Stevenson, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa no Seminário para Novos Líderes de Missão de 2022, na sexta-feira, dia 24 de junho de 2022. | Crédito: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Presidente Droubay acrescentou: “Junto com as escrituras, sempre tenho uma cópia comigo nas entrevistas, quando os missionários estão tendo dificuldades com algo pessoal ou algum aspecto do trabalho em sua área. Abrimos ‘Pregar Meu Evangelho’ e buscamos respostas.”

Élder Stevenson sugeriu um sexto princípio: “Usamos os dois”, dando ênfase no uso de “Pregar Meu Evangelho” e as escrituras.

A sister Sheryn Thomas, da Missão México Cidade do México Noroeste, disse: “Nossos dias começam com ‘Pregar Meu Evangelho.’ Pedimos aos nossos missionários que concentrem seus estudos pessoais e com o companheiro em ‘Pregar Meu Evangelho’ e em conjunto com o Livro de Mórmon.”

Élder Stevenson concluiu: “Convido-os a integrar estes princípios de ‘Pregar Meu Evangelho’, e internalizá-los (…) de uma maneira pessoal, com sua experiência missionária. …

“Presto meu testemunho que ‘Pregar Meu Evangelho’ e as escrituras abençoarão vocês e seu ministério em seu serviço, assim como os missionários que lhes foram designados.”

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.