Menu

Presidente Porter compartilha quatro maneiras de centralizarmos em Cristo durante tempestades da vida

‘O Salvador tem o poder de nos ajudar a estar centralizados Nele mesmo quando não conseguimos chegar a um estado de calma’, ensina a presidente Susan H. Porter, presidente geral da Primária, durante o devocional da BYU-Pathway Worldwide

Às vezes, as pessoas podem sentir que estão vivendo em uma tempestade. A vida pode parecer agitada durante a incerteza sobre o futuro, incluindo desafios familiares, financeiros ou de saúde.

Ao refletir sobre estas dificuldades, a presidente Susan H. Porter, presidente geral da Primária, pensou sobre o que pode ser aprendido com os furacões.

Embora furacões sejam tempestades enormes, muitas vezes com centenas de quilômetros de largura e com ventos fortes, no centro existe um local de calma chamado “olho”.

Os ventos mais fortes e violentos estão mais próximos do olho, formando o que é chamado de “parede do olho”. Portanto, se uma pessoa estiver no centro da tempestade e olhar ao redor, tudo o que verá será o caos.

Durante seu devocional da BYU-Pathway Worldwide na terça-feira, 2 de abril, a presidente Porter perguntou: “Quando os ventos estão soprando e girando ao nosso redor, como podemos chegar ao ‘olho’ de nossa tempestade e não sermos desencorajados pelos desafios mais intensos que estão diretamente à nossa frente?”

Ela sugeriu quatro passos que cada pessoa pode dar: parar, orar, lembrar e seguir em frente.

1. Pare

Presidente Porter disse que, às vezes “precisamos parar, parar de nos preocupar, parar de correr mais rápido do que temos forças” e, em vez disso, nos centralizarmos e buscarmos o céu.

“Cada vez que nos sentimos sobrecarregados, podemos fazer uma pausa, tirar os olhos da confusão que nos rodeia e olhar para Deus”, disse ela.

Presidente Russell M. Nelson convidou todos a “pensarem celestial” e a buscarem uma recompensa eterna, em vez de se concentrarem nas dificuldades do dia.

2. Ore

Quando as pessoas oram com fé, é como se olhassem para um Pai Celestial amoroso, que conhece as tempestades que enfrentam.

“Podemos pedir-Lhe paz, força e clareza de pensamento para saber como compreender e lidar com tudo aquilo que não está claro ao nosso redor”, disse a presidente Porter. Ela compartilhou como Presidente Nelson ensinou que as orações podem e devem ser conversas com o Pai Celestial.

Lugares onde os ventos são calmos e a paz prevalece podem ser locais para pararmos e orarmos. Isto inclui templos, capelas e lares.

Mas “o Salvador tem o poder de nos ajudar a nos centralizarmos Nele, mesmo quando não conseguimos chegar a um estado de calma”, ensinou a presidente Porter.

Quando os discípulos de Jesus estavam em um barco no Mar da Galileia, surgiu uma grande tempestade e eles temeram por suas vidas. Eles encontraram o Salvador dormindo. Ele se levantou e repreendeu o vento e acalmou o mar.

A presidente Porter disse: “Podemos exercer nossa fé no Filho vivo do Deus vivo. Por meio de Seu grande e expiatório sacrifício, o Salvador tem poder para nos ajudar a superar as tempestades desta vida. Podemos ir ao Pai em humilde oração, em nome de Cristo, e receber paz em meio às nossas tempestades.”

Jesus calms and stills the storm on the Sea of Gailiee in a painting by Ted Henninger
“Acalmando a Tempestade”, de Ted Henninger. | The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints

3. Lembre-se

Durante as tempestades, as pessoas podem se lembrar de momentos em sua vida em que souberam que Deus as ama e está ciente delas. Elas podem se lembrar de quando receberam a ajuda do céu.

E elas podem se lembrar de seus convênios. “Nenhuma força do vento pode romper os laços dos convênios que fizemos com o Pai Celestial e Seu Filho na fonte batismal e no templo sagrado. Quando nos esforçamos para honrar esses convênios, cumprindo Seus mandamentos, convidamos o Salvador a nos apoiar em nossas tempestades”, disse a presidente Porter.

As pessoas também podem se lembrar de que os furacões podem ser enormes e fortes, mas são temporários. O céu limpo volta quando a tempestade perde a força. Aqueles que estão ancorados no Salvador durante a tempestade serão mais fortes quando a tempestade passar.

4. Siga em frente

Aqueles que param, oram e se lembram podem “prosseguir com … um perfeito esplendor de esperança” (2 Néfi 31:20). Essa esperança está centralizada em Jesus Cristo e em Sua capacidade de fortalecer e direcionar o caminho.

Presidente Porter compartilhou uma experiência que teve no hospital quando seu marido, o falecido Élder Bruce D. Porter, Setenta Autoridade Geral, foi submetido a uma cirurgia e sua saúde estava piorando rapidamente. Eles estavam a muitos quilômetros de casa e ela se sentia sozinha e desamparada.

“Senti como se estivesse no meio de uma tempestade sobre a qual não tinha controle”, disse.

Ela parou e procurou então, um lugar tranquilo, uma escada silenciosa e vazia, onde fez uma oração. Na manhã seguinte, enquanto ela jejuava e caminhava pelos corredores do hospital, recebeu ligações de entes queridos oferecendo-lhe apoio.

“Percebi que o que o Senhor estava oferecendo primeiro, não eram respostas ou soluções para a precária situação de saúde de Bruce”, disse ela. “Em vez disso, Ele estava limpando os céus para que eu pudesse sentir Seu amor e cuidado. Eu estava no centro da tempestade com o Salvador ao meu lado.”

Ela lembrou os alunos de que Deus está ciente deles e os ajudará. “Vocês são Seus filhos. Ele os ama.”

HISTÓRIAS RELACIONADAS
Sejam ‘firmes e inamovíveis, seguros e inabaláveis’, diz a presidente Porter
O que a metáfora de ‘uma nuvem de testemunhos’ significa para presidente Porter
Élder Mark A. Bragg: ‘Equilíbrio cristão’
NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.