Menu

Igreja na Europa tem ‘futuro sem precedentes’ e ‘novo propósito’

Élder De Feo diz que os santos dos últimos dias europeus estão usando a mensagem do devocional de Presidente Nelson de janeiro de 2022 como estrutura

Mais de seis meses depois de Presidente Russell M. Nelson proclamar que a Europa tem “um futuro sem precedentes”, Élder Massimo De Feo, Setenta Autoridade Geral com meia década de liderança de área no continente do Hemisfério Oriental, vê oportunidades e crescimento.

“Do meu ponto de vista, o devocional de Presidente Nelson deu nova energia a todos os membros da Europa”, disse Élder De Feo, um italiano de 61 anos que serviu na presidência da Área Europa como conselheiro desde 2017, e depois, presidente da área desde 2021.

Presidente Russell M. Nelson, irmã Wendy Nelson, élder David A. Bednar e irmã Susan Bednar conversam antes de gravar um devocional para membros da Igreja de 48 países da Europa. A transmissão teve origem na sede da Igreja e foi transmitida em 23 de janeiro de 2022.
Presidente Russell M. Nelson, irmã Wendy Nelson, élder David A. Bednar e irmã Susan Bednar conversam antes de gravar um devocional para membros da Igreja de 48 países da Europa. A transmissão teve origem na sede da Igreja e foi transmitida em 23 de janeiro de 2022. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Presidente Nelson falou aos santos dos últimos dias de 48 países europeus, em uma transmissão do devocional de 23 de janeiro de 2022, gravada em Salt Lake City. “Vocês têm acesso ao poder, o poder de Deus, que irá literalmente mudar o futuro da Europa”, disse ele. “Ao guardarem seus convênios com precisão crescente, vocês se tornarão a esperança da Europa e de Israel.”

Élder De Feo disse que os líderes locais da Igreja em toda a Europa, frequentemente relembram os santos dos últimos dias do devocional. “Muitos se referem a isso como uma estrutura para o que precisa acontecer e como devemos olhar para as coisas na Igreja e no futuro”, disse ele, acrescentando: “Isso nos deu um novo propósito. (…) Foi muito, muito específico, até mesmo em algumas das promessas e bênçãos.”

E o devocional também foi oportuno, sendo realizado apenas quatro semanas antes do início do conflito Rússia-Ucrânia, atualmente em andamento. “Lembramos do devocional e reconhecemos imediatamente a mão do Senhor”, disse Élder De Feo.

Membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias na Moldávia fornecem cobertores aos refugiados na fronteira ucraniana, em março de 2022. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

Élder De Feo disse que tenta ver além das tragédias do conflito e dos desafios dos refugiados.

“Acredito que precisamos olhar para as oportunidades … tantos membros ajudando uns aos outros em um esforço conjunto, em todos os níveis, em todos os países”, disse ele em um recente episódio do podcast do Church News [em inglês]. “Eu vi solidariedade. Eu vi o amor sincero pelos outros, o desejo de ajudar de qualquer maneira possível. Eu vi de tudo, realmente, o evangelho em ação e na prática.”

O conflito criou uma união sem precedentes entre os membros em toda a Europa, com muitos se oferecendo para ajudarem os refugiados que chegavam. Enquanto isso, os refugiados santos dos últimos dias da Ucrânia se integraram e ajudaram a fortalecer as alas locais com seus testemunhos, dedicação e resiliência, disse ele.

Portanto, embora os impactos temporais do conflito tenham sido trágicos, disse Élder De Feo, “certamente os efeitos espirituais são muito positivos em toda a região: em todos os lugares, países e unidades da Igreja na Europa.”

Desde o devocional de janeiro e o início do conflito no final de fevereiro, houve vários anúncios notáveis para a Igreja na Europa.

Durante a conferência geral de abril de 2022, novos templos foram anunciados para Barcelona, Espanha e Birmingham, Reino Unido, se unindo aos templos anunciados anteriormente para Viena, Áustria; Bruxelas, Bélgica; Oslo, Noruega, Budapeste, Hungria; e um local ainda a ser determinado na Rússia. O continente já abriga 14 templos dedicados.

Élder Massimo De Feo, Setenta Autoridade Geral, e sua esposa, irmã Loredana Galeandro De Feo, falam com a imprensa no Centro de Visitantes do Templo de Roma Itália, na sexta-feira, 8 de março de 2019. Élder De Feo nasceu na Itália.
Élder Massimo De Feo, Setenta Autoridade Geral, e sua esposa, irmã Loredana Galeandro De Feo, falam com a imprensa no Centro de Visitantes do Templo de Roma Itália, na sexta-feira, 8 de março de 2019. Élder De Feo nasceu na Itália. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

E ainda em abril, a Igreja anunciou a reorganização das áreas Europa e Europa Leste, resultando nas áreas Europa Central, Europa Leste e Europa Norte, com respectivas sedes em Frankfurt, Alemanha; Moscou, Rússia; e Londres, Inglaterra. Élder De Feo agora preside a Área Europa Central.

Durante décadas, ondas de imigrantes passaram pela Europa, de países vizinhos, dentro de fora do continente. “Isso não é novo; esta é a nossa história. … A Europa tem uma longa história de imigração e sobre como ajudar os imigrantes”, disse Élder De Feo.

A Igreja está na linha de frente, ansiosa para ajudar e trabalhar com os governos locais e organizações de caridade.

“Realmente somos todos irmãos e irmãs, filhos de Deus e, por isso, devemos fazer todo o possível para ajudar qualquer pessoa em necessidade, independentemente de circunstâncias pessoais, cidadania, idioma ou cultura”, disse ele. “O evangelho é sempre inclusivo e nunca exclusivo.”

Élder De Feo observou que os convites e promessas de um profeta, em janeiro de 2022, têm feito os santos dos últimos dias europeus olharem para um novo dia com uma visão de fé. “Se acreditarmos nisto, mudarmos nossa mentalidade e aumentarmos nossa fé … podemos fazê-lo, e o Senhor fará a obra avançar”, disse ele.

O principal desafio para os membros na Europa, acrescentou, é “como sobreviver espiritualmente em um mundo em mudança ,que está tentando diminuir a fé e o papel de Jesus Cristo em nossa vida.”

O evangelho de Jesus Cristo fornece respostas para todos os problemas do mundo, sejam conflitos, pandemias ou desafios pessoais enfrentados na vida dos indivíduos, disse Élder De Feo. Ele aponta para Lucas 15 e a fome na terra que levou o filho pródigo a voltar para seu pai.

“Foi uma oportunidade para o Senhor transformar uma circunstância trágica, um evento trágico, em uma oportunidade de voltar ao Pai”, disse ele, acrescentando que em tempos de guerra, pandemia ou desafios pessoais, “precisamos agir rapidamente e ajudar, e então olhar para a oportunidade de transformar isto em uma vantagem espiritual, uma oportunidade espiritual de voltar ao Pai.”

Élder De Feo vê um futuro espiritual na Europa que pode rivalizar com o passado da região: desde conversões em massa e emigração pioneira nos primeiros dias da Igreja, até a coragem dos últimos dias para sobreviver a crises políticas e duas guerras mundiais.

“Há um legado espiritual que, se compreendido de uma perspectiva espiritual, pode realmente fazer a diferença para a Igreja novamente, como fez nos estágios iniciais do crescimento da Igreja restaurada.”

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.