Menu
Global

‘Sombras definem a luz’: Fotógrafa Me Ra Koh diz ao público da RootsTech para abraçarem toda sua história

Descobrir a resiliência permite que as pessoas escolham sua própria narrativa para a história da família, Me Ra Koh compartilha na RootsTech

Assim como Me Ra Koh renasceu das cinzas, superando um passado de abuso, depressão e outros desafios, outros podem encontrar a cura ao reconhecerem sua própria resiliência, disse a renomada fotógrafa, a um grande público no palco principal da RootsTech 2023 em Salt Lake Cidade, na sexta-feira, 3 de março.

Koh compartilhou alguns detalhes de sua vida, incluindo abuso emocional de seu pai, abuso físico de um namorado da faculdade, depressão e seu tempo em uma ala psiquiátrica de um hospital. Mas após a morte de seu segundo bebê, ela atingiu um nível de dor e tristeza que disse ser difícil de colocar em palavras.

Em sua profunda tristeza, ela estava deitada no sofá enquanto sua filha brincava no chão. A luz do sol da tarde veio e caiu sobre a garotinha de uma forma tão linda, que Koh foi tomada pelo pensamento de que ela queria aprender a tirar uma foto sua, embora ela tivesse duvidado no passado que ela poderia aprender fotografia.

“A vida chega a um ponto, para cada um de nós, onde há a necessidade de se ter cura”, disse Koh. “A necessidade de liberdade finalmente supera as vozes de desqualificação, as vozes de medo e dúvida.”

Ela comprou uma câmera e aprendeu sozinha a tirar fotos e a fotografia começou a curá-la.

“A fotografia me trouxe alívio, me mostrando que as sombras abraçam a luz. Não preciso me esconder das sombras, não preciso ocultar as partes da minha vida das quais posso me sentir envergonhada”, disse Koh. “Isso é realmente o que define a luz. As sombras definem a luz.”

Me Ra Koh fala na RootsTech, no centro de convenções Salt Palace em Salt Lake City, na sexta-feira, 3 de março de 2023.
Me Ra Koh fala na RootsTech, no centro de convenções Salt Palace em Salt Lake City, na sexta-feira, 3 de março de 2023. | Laura Seitz, Deseret News

Koh emergiu para se tornar uma fotógrafa renomada que apareceu na Oprah, “Live with Kelly and Ryan” [em inglês] e outros programas de televisão.

Ela é autora de best-sellersapresentadora do Disney Channel uma das duas primeiras fotógrafas mulheres a serem patrocinadas pela Sony [todos sites em inglês].

Koh e seu marido formaram o estúdio de fotografia profissional Fioria [em inglês] no Texas, onde contam histórias de resiliência por meio de cada foto. Eles entrevistam cada pessoa e seus familiares antes da sessão de fotos, muitas vezes desenterrando momentos tocantes e comoventes, que se tornam aspectos preciosos da história familiar da pessoa.

“O que você e sua família superaram? O que ressurgiu das cinzas de sua vida?”, Koh perguntou ao público. “Quando você olha para a ‘paisagem’ de sua vida, você vê apenas as cinzas do que foi queimado? Ou você vê essas coisas em você: esses atributos e essas qualidades que não há nada que possa tirá-los de você e nada que possa destrui-los?

Construir resiliência é escolher contar a própria história, ou a própria narrativa da vida. E isso permite que as pessoas determinem como se veem e o que querem ver em si mesmas.

Quando o pai de Koh foi visitá-la no Texas para o Dia de Ação de Graças, ela também fez uma sessão de fotos com ele. E nas respostas às perguntas de sua equipe, ela e seu pai usaram a palavra “ousado” ao se descreverem, e ela disse que percebeu que aprendeu a ousadia com seu pai.

Me Ra Koh fala na RootsTech, no centro de convenções Salt Palace em Salt Lake City, na sexta-feira, 3 de março de 2023. Um retrato de Koh com seu pai é exibido ao fundo.
Me Ra Koh fala na RootsTech, no centro de convenções Salt Palace em Salt Lake City, na sexta-feira, 3 de março de 2023. Um retrato de Koh com seu pai é exibido ao fundo. | Laura Seitz, Deseret News

A experiência e as fotografias que se seguiram ajudaram muito a curar seu relacionamento com seu pai, e ela disse que quer ver sua imagem sorrindo juntos todos os dias.

“É muito fácil focar na dor. É tão fácil focar no negativo. Mas isso (a alegria) também é verdade. Isso também faz parte da minha história, e essa é a narrativa que escolho”, disse ela.

Koh enfatizou que ela não estava dizendo que as pessoas deveriam usar “óculos cor-de-rosa” e ignorar todas as partes da história de sua família que são decepcionantes ou desanimadoras. Ela estava dizendo exatamente o oposto: que as sombras definem a luz.

“Eu lhes dou permissão para abraçarem as sombras e deixarem a luz ser muito mais precisa para vocês, para que quando forem mais velhos algum dia, e mesmo quando não estiverem mais aqui, e suas gerações posteriores estiverem fazendo a pesquisa e a história sobre quem eles são e de onde vieram, eles encontrem a dor e vejam as coisas que foram difíceis, mas também vejam uma história de resiliência, uma história de esperança e perdão”, disse ela.

Escolher a própria narrativa significa tornar-se como uma ‘fênix das cinzas’. Abraçar tudo de bom e de ruim, concluiu Koh, é a história mais poderosa que as pessoas podem deixar para o futuro.

Me Ra Koh, no centro, recebe um pergaminho com sua árvore genealógica na RootsTech, no centro de convenções Salt Palace em Salt Lake City, na sexta-feira, 3 de março de 2023.
Me Ra Koh, no centro, recebe um pergaminho com sua árvore genealógica na RootsTech, no centro de convenções Salt Palace em Salt Lake City, na sexta-feira, 3 de março de 2023. | Laura Seitz, Deseret News

Mais sobre a RootsTech 2023

RootsTech é uma conferência anual de história da família e tecnologia, patrocinada pelo FamilySearch, uma organização genealógica sem fins lucrativos operada por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

A RootsTech 2023 começou em 2 de março e irá até 4 de março em Salt Lake City. Após dois anos consecutivos sendo realizada totalmente on-line, a conferência deste ano conta com eventos presenciais e on-line.

NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.