Menu

Élder Bednar: ‘Não é racional afirmar que a fé em Jesus Cristo não é racional’ — Parte 2

Parte 2 da série de devocionais ‘Para que creiais’, apresentada na BYU–Idaho

ASS3fwq 2REXBURG, Idaho — Pela segunda vez em três meses, Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, ensinou aos santos dos últimos dias em idade universitária que “não é racional afirmar que a fé em Jesus Cristo não é racional”. 

Em seu devocional no dia 28 de agosto no Instituto de Religião da Universidade de Utah, Élder Bednar explicou que sua mensagem foi a primeira de uma série de duas partes intitulada “Para que creiais” (1 João 5:13), com a segunda a ser apresentada mais tarde em outro devocional universitário.

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 no BYU-Idaho Center no campus da Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 no BYU-Idaho Center no campus da Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho. | Michael Lewis, BYU-Idaho

A segunda parte foi compartilhada no domingo, dia 30 de outubro, no BYU–Idaho Center da Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, com Élder Bednar acompanhado por sua esposa, a irmã Susan Bednar, que também discursou brevemente e compartilhou seu testemunho do Profeta Joseph Smith.

Para o casal, foi como retornar para casa, já que Élder Bednar serviu como presidente da BYU–Idaho de 1997 a 2004, sendo depois disto chamado como Apóstolo.

A irmã Susan Bednar discursa em um devocional da Universidade Brigham Young-Idaho no dia 30 de outubro de 2022, no BYU-Idaho Center em Rexburg, Idaho.
A irmã Susan Bednar discursa em um devocional da Universidade Brigham Young-Idaho no dia 30 de outubro de 2022, no BYU-Idaho Center em Rexburg, Idaho. | Carrin Nelson, BYU-Idaho

Em ambos devocionais, Élder Bednar ressaltou que os argumentos básicos usados pelos críticos contemporâneos da Igreja são semelhantes aos da época dos profetas do Livro de Mórmon.

Corior, um anticristo, ridicularizou o Salvador, Sua Expiação e o espírito de profecia, dizendo: “Eis que não podeis saber de coisas que não vedes” e que tais coisas vieram de “uma mente desvairada” (Alma 30:13-16). E as pessoas responderam ao ministério de Samuel, o lamanita, dizendo: “Não é razoável que venha um ser como Cristo” (Helamã 16:18).

Élder Bednar disse: “Repito minha completa e enfática rejeição dos argumentos de Corior de que a crença em Jesus Cristo e Sua missão mortal é resultado de tradições tolas e mentes desvairadas e transtornadas. Testifico que passamos a saber muitas coisas por outros meios além da visão, especialmente coisas espirituais.”

Ele depois acrescentou: “Rejeito completamente a tese de que os crentes da época de Samuel, o lamanita, ‘adivinharam corretamente’, que ver é a melhor e a única maneira de saber, e que não é racional que um ser como um Cristo venha. De fato, acredito que não é racional afirmar que a fé em Jesus Cristo é não racional.”

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, ensina sobre o Profeta Joseph Smith em um devocional no dia 30 de outubro de 2022, no BYU-Idaho Center em Rexburg, Idaho.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, ensina sobre o Profeta Joseph Smith em um devocional no dia 30 de outubro de 2022, no BYU-Idaho Center em Rexburg, Idaho. | Michael Lewis, BYU-Idaho

Em suas duas mensagens, Élder Bednar destacou o vasto escopo, a profundidade, a amplitude e a importância eterna do evangelho restaurado de Jesus Cristo, abordando o que ele admitiu ser apenas uma pequena amostra das verdades absolutas reveladas ao Profeta Joseph Smith.

Com críticos atuais que desconsideram Joseph Smith e a Primeira Visão, a tradução do Livro de Mórmon, a revelação nos últimos dias e diversas outras coisas, Élder Bednar discutiu brevemente as principais verdades doutrinárias no contexto das ideias teológicas da época de Joseph, e da região onde ele foi criado.

No primeiro devocional em Salt Lake City, as cinco verdades doutrinárias foram:

  1. A natureza e o caráter da Divindade.
  2. O plano de salvação do Pai Celestial.
  3. A importância da mortalidade e de um corpo físico.
  4. A Criação da Terra e a Queda de Adão e Eva.
  5. A Expiação de Jesus Cristo. 
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 na Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 na Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho. | Madeline Carn, BYU-Idaho

No primeiro devocional em Salt Lake City, as cinco verdades doutrinárias foram:

  1. A natureza e o caráter da Divindade.
  2. O plano de salvação do Pai Celestial.
  3. A importância da mortalidade e de um corpo físico.
  4. A Criação da Terra e a Queda de Adão e Eva.
  5. A Expiação de Jesus Cristo. 

No segundo devocional, em Rexburg, ele acrescentou mais cinco verdades doutrinárias:

  1. A autoridade e as chaves do sacerdócio.
  2. Os profetas, os apóstolos e a revelação.
  3. As escrituras adicionais dos últimos dias.
  4. Os convênios e as ordenanças.
  5. Os convênios e as ordenanças do templo e o trabalho vicário pelos mortos. 

Nos dois devocionais, Élder Bednar convidou seus ouvintes a usarem cinco critérios básicos, para tirarem suas próprias conclusões a respeito do contraste entre “as ideias teológicas sobre as quais o próprio Joseph Smith falou — as que ele parece ter ouvido circular na região de Manchester, Nova York; as que estavam em sua mente; e as que provocaram dúvidas em seu coração e mente”, e a doutrina do evangelho restaurado, conforme revelada por meio do Profeta Joseph Smith:

  • O ato de “ver” é a melhor e única maneira de saber o que sabemos?
  • Joseph Smith foi influenciado por falsas tradições?
  • As pessoas que acreditam têm uma mente desvairada e transtornada?
  • Os profetas simplesmente adivinharam certo?
  • O conceito da Restauração do evangelho e da Igreja do Salvador não é racional? 
Participantes sorriem antes do devocional do dia 30 de outubro de 2022 com Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, no BYU-Idaho Center em Rexburg, Idaho.
Participantes sorriem antes do devocional do dia 30 de outubro de 2022 com Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, no BYU-Idaho Center em Rexburg, Idaho. | Madeline Carn, BYU-Idaho

1. A autoridade e as chaves do sacerdócio

Os líderes das diversas denominações cristãs da época de Joseph não haviam sido ordenados, mas licenciados, e seguiam mais uma espécie de “sacerdócio para todos os que acreditam”, com a fé na Bíblia como a fonte suprema da autoridade espiritual, disse Élder Bednar. E embora muitos membros das igrejas protestantes a partir do século XVI enxergassem a necessidade de uma reforma da Igreja Católica Romana, muitos outros crentes aceitavam o argumento de que a autoridade apostólica havia tido continuidade desde o tempo de Cristo.

“Em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o sacerdócio é definido como a autoridade e o poder eternos de Deus concedidos a Seus filhos para realizar Sua obra na Terra”, disse ele, citando a quinta regra de fé que diz que a autoridade do sacerdócio só pode ser conferida pela imposição de mãos, por servos comissionados do Senhor.

A Igreja também ensina que a Igreja original estabelecida pelo Salvador — com sua autoridade divina, doutrina, convênios e ordenanças — foi removida da Terra durante a Apostasia, disse Élder Bednar.

Como parte da profecia da restauração de todas as coisas nos últimos dias, os profetas antigos conferiram pessoalmente a autoridade do sacerdócio a Joseph Smith e lhe entregaram as chaves do sacerdócio: o Sacerdócio Aarônico e suas chaves por João Batista; o Sacerdócio de Melquisedeque e suas chaves pelos apóstolos Pedro, Tiago e João; e a autoridade e as chaves adicionais por Moisés, Elias e Elias, o Profeta, os quais apareceram a ele no Templo de Kirtland.

“As chaves do sacerdócio são a autoridade para dirigir o uso do sacerdócio em favor dos filhos de Deus”, disse Élder Bednar. “O uso de toda autoridade do sacerdócio na Igreja é dirigido por aqueles que possuem as chaves do sacerdócio.”

2. Os profetas, os apóstolos e a revelação

Muitas religiões na época de Joseph Smith consideravam a Bíblia a palavra completa de Deus, sem a necessidade de profetas e apóstolos modernos.

Em contraste, Élder Bednar disse: “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias proclama que o Senhor chama profetas em nossos dias para falarem por Ele, assim como o fez antigamente. (…) Além disso, a revelação contínua e direta de Deus a Seus profetas e apóstolos, é essencial para o reino de Deus na Terra.”

O Profeta Joseph Smith ensinou que o Senhor abriu a dispensação da plenitude dos tempos, quando todo conhecimento, autoridade do sacerdócio, convênios e ordenanças, dados em dispensações anteriores, seriam restaurados e verdades adicionais seriam reveladas, acrescentou Élder Bednar.

“A Igreja do Senhor — A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias — foi restaurada em cumprimento à profecia e encherá a Terra.”

3. As escrituras adicionais dos últimos dias

Élder Bednar disse: “Na época de Joseph, as igrejas protestantes geralmente ensinavam que a Bíblia era a palavra final de Deus, suficiente e infalível, e que todas as verdades necessárias para a salvação da humanidade eram encontradas nesse livro de escrituras. Consequentemente, elas não reconheciam a necessidade de escrituras adicionais.”

Os santos dos últimos dias acreditam que tanto a Bíblia — “desde que esteja traduzida corretamente” — quanto o Livro de Mórmon são a palavra de Deus, sendo este último como outro testamento de Jesus Cristo, que confirma as verdades da Bíblia e restaura verdades claras e preciosas que haviam sido removidas, disse Élder Bednar.

Além disso, Doutrina e Convênios é reverenciada como escritura sagrada que contém a palavra de Deus aos profetas modernos, juntamente com a revelação do Senhor de outros escritos sagrados de profetas como Enoque, Abraão e Moisés.

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 no BYU-Idaho Center no campus da Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 no BYU-Idaho Center no campus da Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho. | Natalia Lopez, BYU-Idaho

4. Os convênios e as ordenanças

Antes da Restauração, outras religiões tinham entendimentos variados sobre a necessidade de ordenanças e como elas eram realizadas. A maioria das religiões pensava menos em convênios e mais em termos de “sacramentos”. “Quando os santos dos últimos dias falam sobre convênios, compreendemos que Deus estabelece as condições de um convênio e promete bênçãos às pessoas que aceitam e honram tal convênio”, disse Élder Bednar.

Os santos dos últimos dias acreditam que as ordenanças do sacerdócio são essenciais, foram estabelecidas desde o início e devem ser realizadas da maneira que Deus designou. Algumas ordenanças — como o batismo por imersão para remissão de pecados e a imposição de mãos para o dom do Espírito Santo — são necessários para a salvação e exaltação.

As ordenanças do batismo e da concessão do dom do Espírito Santo são realizadas depois que a pessoa se torna responsável; as criancinhas não precisam destas ordenanças para serem salvas. 

5. Os convênios e as ordenanças do templo, e o trabalho vicário pelos mortos

As igrejas cristãs da época de Joseph não tinham um entendimento dos convênios e das ordenanças do templo que dão acesso à plenitude das bênçãos de Deus, disse Élder Bednar.

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ensina que um homem e uma mulher que entram no novo e eterno convênio do casamento podem ser selados para esta vida e para toda a eternidade”, disse ele. “Esta ordenança recebida na Terra é ligada no céu quando realizada por alguém que possui a autoridade seladora restaurada por Elias, o Profeta, e por meio da fidelidade do casal.”

E as pessoas que morrem, sem receber os convênios e as ordenanças essenciais nesta vida, podem recebê-los por meio do trabalho vicário realizado nos templos.

Durante um “intervalo” em seu devocional do dia 30 de outubro de 2022 na Universidade Brigham Young-Idaho, Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, mostrou imagens do Telescópio Espacial James Webb, ao som da narração de versículos de Doutrina e Convênios e do livro de Moisés.
Durante um “intervalo” em seu devocional do dia 30 de outubro de 2022 na Universidade Brigham Young-Idaho, Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, mostrou imagens do Telescópio Espacial James Webb, ao som da narração de versículos de Doutrina e Convênios e do livro de Moisés. | Michael Lewis, BYU-Idaho

O convite, a promessa e o testemunho

“Que seus atos de pedir, buscar e bater continuem sendo realizados com maior foco, coração sincero e real intenção”, disse Élder Bednar a seus ouvintes. “Ao assim agirem, prometo que serão abençoados pelo poder do Espírito Santo para saberem a verdade de todas as coisas que são essenciais para sua salvação e exaltação.”

Se tudo o que soubermos sobre o evangelho vier do que outras pessoas dizem ou de comentários escritos, “nunca saberemos o suficiente”, acrescentou ele. “Um preço individual deve ser pago para aprendermos por nós mesmos. Não podemos viver com luz emprestada.”

O apóstolo ressaltou a importância de estudarmos as escrituras, buscarmos as verdades eternas e estarmos unidos por meio do jugo individual e pessoal do convênio com o Senhor ressurreto e vivo, Jesus Cristo.

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 na Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, discursa em um devocional no dia 30 de outubro de 2022 na Universidade Brigham Young-Idaho em Rexburg, Idaho. | Carrin Nelson, BYU-Idaho

O raciocínio é importante e útil; no entanto, não é a melhor, nem a única maneira, de sabermos algo, disse ele. “Um testemunho da verdade, obtido pelo poder do Espírito Santo que convidamos à nossa alma, produz conhecimento espiritual, iluminação e convicção mais seguros, poderosos e duradouros, do que pode ser recebido apenas pela visão, pela audição, pelo tato ou por meio do argumento racional.”

Ao testificar de Deus, o Pai, e Seu plano de felicidade; Jesus Cristo, como o Unigênito do Pai, o Filho Amado, o Salvador e Redentor; e Seu sacrifício expiatório, central e essencial ao plano do Pai, Élder Bednar disse: “O testemunho sagrado e pessoal que lhes declaro neste momento é independente de qualquer outra pessoa e transcende os cinco sentidos físicos.”

Ele também testificou da Primeira Visão que deu início à Restauração em curso nos últimos dias. “O Salvador continua a revelar Sua mente e vontade a Seus servos, os profetas. Os convênios e as ordenanças do evangelho nos unem a e com o jugo do Senhor ressurreto e vivo.

“Com toda a energia de minha alma, testifico que estas coisas são verdadeiras.”

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, faz um sinal de positivo para a audiência no BYU-Idaho Center, em seu devocional do dia 30 de outubro de 2022 em Rexburg, Idaho.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, faz um sinal de positivo para a audiência no BYU-Idaho Center, em seu devocional do dia 30 de outubro de 2022 em Rexburg, Idaho. | Carrin Nelson, BYU-Idaho
NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.