Menu

Élder Bednar: ‘Não é racional afirmar que a fé em Jesus Cristo não é racional’

Apóstolo apresentou a primeira de uma série de devocionais em duas partes sobre crença, sustentada por verdades fundamentais do evangelho restaurado

Sob premissas como “ver para crer”, críticos e cínicos por milênios disseram que a fé no Salvador Jesus Cristo e em Sua vinda não é “racional.”

Para Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, o oposto é verdadeiro: “Acredito que não é racional afirmar que a fé em Jesus Cristo não é racional”, disse ele.

Em um devocional no domingo, 28 de agosto, no Instituto de Religião da Universidade de Utah, em Salt Lake City, Élder Bednar destacou as estratégias de longa data de engano e destruição espiritual de Satanás, e destacou cinco verdades doutrinárias fundamentais, ensinadas pelo Profeta Joseph Smith, para confirmar que não é racional afirmar que a restauração do evangelho do Senhor e da Igreja nos últimos dias não é racional.

As cinco verdades “são apenas um vislumbre inicial do vasto escopo, profundidade, amplitude e importância eterna do evangelho restaurado do Senhor Jesus Cristo”, disse Élder Bednar, que estava acompanhado por sua esposa, a irmã Susan Bednar.

A irmã Susan Bednar, à direita, olha para Élder David A. Bednar, durante um hino, no Instituto de Religião em Salt Lake City na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
A irmã Susan Bednar, à direita, olha para Élder David A. Bednar, durante um hino, no Instituto de Religião em Salt Lake City na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News

Em sua breve mensagem, a irmã Bednar falou sobre ter fé no Senhor, fé em si mesmo, fé no futuro e seu testemunho do chamado apostólico de seu marido, serviu como um precursor adequado para a instrução de Élder Bednar.

O apóstolo explicou que o devocional era a “Parte 1” de uma série planejada de dois devocionais sobre fé e crença; com a Parte 2 a ser apresentada em outro devocional universitário no final deste outono [do Hemisfério Norte].

As estratégias de Satanás para nos enganar

O Livro de Mórmon contém lições valiosas sobre as estratégias de engano e destruição espiritual de Satanás: táticas usadas tanto naquela época quanto hoje. Élder Bednar citou a conversa entre Corior e Alma e o exemplo dos incrédulos durante a época de Samuel, o lamanita.

Em Alma 30, Corior, o anticristo, ridicularizou o Salvador, Sua Expiação e o espírito de profecia enquanto rebaixava, depreciava e desvalorizava os fiéis e suas crenças. Ele usou declarações como “presos a uma louca e vã esperança”, “tradições tolas”, “uma mente desvairada, “transtorno de vossa mente” e “eis que não podeis saber de coisas que não vedes.”

“Essa simples afirmação denigre qualquer meio de se conhecer que não seja através da visão”, disse Élder Bednar. “Ela varre falsamente todo conhecimento histórico, todo conhecimento obtido por meio de aprendizado vicário, toda intuição individual ou coletiva, todo conhecimento resultante da construção cognitiva, e descarta a existência de objetos ou lugares não vistos pessoalmente.”

Um pequeno videoclipe é apresentado enquanto Élder David A. Bednar fala no devocional realizado no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
Um pequeno videoclipe é apresentado enquanto Élder David A. Bednar fala no devocional realizado no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News

Ele comparou isso com os ensinamentos de Alma: “fé não é ter um perfeito conhecimento das coisas; portanto, se tendes fé, tendes esperança nas coisas que se não veem e que são verdadeiras” (Alma 32:21), e disse que “com a fé centrada em Cristo, crer no que é verdadeiro, mas não visível, é de fato ver.”

Élder Bednar acrescentou: “Rejeito de todo o coração e enfaticamente os argumentos de Corior de que a crença em Jesus Cristo e em Sua missão mortal seja o resultado de tradições tolas e mentes desvairadas e perturbadas. Testifico que conhecemos muitas coisas por outros meios que não seja a visão, especialmente coisas espirituais.”

Aproximadamente 70 anos depois de Corior, Helamã 16 descreve o ministério de Samuel, o lamanita, apenas alguns anos antes do nascimento do Salvador. Élder Bednar apontou dois elementos específicos de falsas ideias e enganos sutis usados pelos incrédulos daquela época.

Primeiro, eles desconsideraram os eventos milagrosos profetizados, os atribuindo principalmente à adivinhação e ao acaso. “E como exatamente os incrédulos ‘sabiam’ que muitas ‘grandes e maravilhosas obras’ não poderiam acontecer? ... Como, de acordo com Corior, ver é saber e porque os eventos ainda não haviam ocorrido e não poderiam ter sido vistos, a lógica entre os incrédulos é claramente inconsistente e contraditória.”

O segundo elemento é a afirmação “não é racional que venha alguém como um Cristo.”

Élder Bednar disse: “Novamente, rejeito de todo o coração e enfaticamente as proposições de que os crentes da época de Samuel, o lamanita, apenas ‘acharam certo’, que ver é a melhor e única maneira de saber, e que não é racional que um ser como um Cristo haveria de vir.

“Na verdade, acredito que não é racional afirmar que a fé em Jesus Cristo não é racional.”

Uma participante ouve Élder David A. Bednar falar em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
Uma participante ouve Élder David A. Bednar falar em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News

Cinco verdades doutrinárias fundamentais

Os argumentos básicos usados pelos difamadores contemporâneos não mudaram muito desde aqueles tempos, com os incrédulos se opondo à Primeira Visão, tradução das placas de ouro, revelação moderna e muito mais de forma irracional e ilógica.

Para apoiar sua alegação de que não é racional sugerir que a restauração do evangelho do Senhor e da Igreja nos últimos dias não é racional, Élder Bednar revisou cinco verdades doutrinárias importantes no contexto da exposição inicial de Joseph Smith aos princípios religiosos provenientes de discussões familiares e vários ministros de sua região e época.

Élder Bednar convidou os ouvintes a tirarem suas próprias conclusões sobre se:

  • Ver é a melhor e única maneira de se saber o que se sabe
  • Joseph Smith foi influenciado por falsas tradições
  • Os crentes têm mentes desvairadas
  • Os profetas simplesmente adivinharam
  • E a restauração do Evangelho e da Igreja do Salvador não é racional.

As cinco verdades doutrinárias são:

1. A natureza e o caráter da Divindade

A Primeira Visão, de Kenneth Riley.
A Primeira Visão, de Kenneth Riley. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

No início de 1800, a Divindade era explicada mais comumente como um “ser” divino aparecendo em diferentes formas: às vezes como o Pai, às vezes como o Filho, às vezes como o Espírito Santo.

Desde a Primeira Visão, ensinou Élder Bednar, Joseph Smith aprendeu os atributos, o caráter e as perfeições da Trindade; que o Pai e o Filho são Seres separados e distintos de carne e ossos; que o Espírito Santo é um personagem do Espírito; e que Jesus Cristo é o Filho literal de Deus em espírito e carne, tendo progredido até se tornar como o Pai.

2. O plano de salvação do Pai Celestial

Com o falecimento de seu irmão Alvin, Joseph e sua família estavam atentos aos ensinamentos da época de que aqueles que morriam sem serem batizados ou “sem igreja” estavam perdidos para a eternidade, sem esperança de salvação.

Conforme restaurado por Joseph Smith, o evangelho de Jesus Cristo declara que todos viveram como filhos espirituais de Deus antes do nascimento mortal, e que o Pai Celestial instituiu um plano de salvação para permitir que Seus filhos se tornassem como Ele, disse Élder Bednar, acrescentando que os conhecimentos adicionais incluem o plano do Pai sendo apresentado em um grande conselho no céu, Sua escolha de Jesus Cristo como nosso Salvador, e o convite do Senhor para que todos venham a Ele e recebam as bênçãos da salvação e exaltação.

3. A importância da mortalidade e de um corpo físico

No século XIX, alguns cristãos acreditavam que o propósito da vida era determinar se alguém iria para o céu ou para o inferno, e que os corpos físicos eram propensos ao pecado e ao progresso físico limitado.

O evangelho restaurado ensina que a mortalidade é um período de aprendizado, prova e preparação para retornarmos à presença de Deus, que existem vários graus de glória eterna, que todos receberão algum grau de glória e que o corpo físico é um dom sagrado de Deus, permitindo que alguém se torne mais semelhante a Ele e receba a plenitude da alegria, disse Élder Bednar.

Participantes ouvem Élder David A. Bednar falar em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
Participantes ouvem Élder David A. Bednar falar em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News

4. A criação da Terra e a queda de Adão e Eva

Nos dias de Joseph, alguns cristãos acreditavam que Deus criou a Terra do nada, ou ex nihilo, em latim. Eles não acreditavam que uma criação espiritual precedeu a criação física. Além disso, muitos acreditavam que a queda de Adão e Eva foi um erro trágico, uma ruptura dos desígnios de Deus e um “pecado original”, resultando em humanos nascendo em estado de pecado.

De acordo com o evangelho restaurado de Jesus Cristo, Deus criou todas as coisas espiritualmente antes de serem criadas fisicamente, a Terra foi organizada a partir de elementos existentes que são eternos, e a queda foi necessária para realizar o plano do Pai Celestial de oferecer as bênçãos da vida eterna a Seus filhos, disse Élder Bednar.

5. A Expiação de Jesus Cristo

| Del Parson, cortesia do Museu de História da Igreja

O conhecimento e os ensinamentos sobre o papel redentor de Cristo e Seu sacrifício expiatório variavam na época do Profeta Joseph Smith, desde Cristo ter morrido para reequilibrar a injustiça criada pelo pecado, ou o Salvador sendo usado como um substituto para sofrer as penalidades dos pecados ou mesmo Jesus morrendo para satisfazer a ira de Deus e pagando pelos pecados de uma maneira geral.

O evangelho restaurado, disse Élder Bednar, ensina que os profetas do Velho Testamento conheciam a Expiação do Salvador e exerceram fé para o arrependimento, com o Livro de Mórmon ensinando que o homem é salvo tanto pela graça de Cristo quanto por obras individuais. “Como parte de Seu sacrifício expiatório, Jesus Cristo sofreu por nossos pecados e tomou sobre Si as dores, doenças e enfermidades de toda a humanidade, para que Ele soubesse segundo a carne, como nos socorrer e fortalecer.”

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News

Convites, promessa e testemunho

Usando trechos de Alma 32, Élder Bednar convidou os ouvintes a aceitarem o convite de Alma para “despertar[em] e exercitar[em] vossa faculdades” e “exercer[em] uma partícula de fé”, vendo se a “semente” da verdade “começa a inchar em seu peito” e “dilata [sua] alma.”

Ele perguntou: “Vocês podem sentir, pelo poder do Espírito Santo, a verdade desses fundamentos doutrinários que não podem ser tocados ou vistos, mas que começam a ‘iluminar o [seu] entendimento’ e ‘[aumentar] a vossa fé’?”

Élder Bednar ofereceu uma prévia da “Parte 2” do devocional, dizendo que abordará verdades adicionais, como o papel e a importância da autoridade e das chaves do sacerdócio; profetas, apóstolos e revelação; escrituras adicionais dos últimos dias; convênios e ordenanças sagrados; templos sagrados e obra vicária.

Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, fala em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News

Dizendo a seus ouvintes, “se tudo o que vocês sabem sobre o evangelho de Jesus Cristo é o que os outros lhe disseram, vocês nunca saberão o suficiente”. Élder Bednar ainda disse que não se pode viver de luz emprestada e enfatizou a importância do estudo e aprendizado pessoal das escrituras. “É importante que cada um de nós tenha uma conexão pessoal do convênio com o Senhor Jesus Cristo vivo.”

A razão é importante e útil; no entanto, não é a melhor nem a única maneira de se saber, acrescentou. “Um testemunho da verdade pelo poder do Espírito Santo, que convidamos a entrar em nossa alma, produz um conhecimento espiritual, uma luz e uma convicção mais segura, mais poderosa e mais duradoura do que pode ser recebido apenas por meio de se ver, ouvir, tocar ou argumentar racionalmente.”

O apóstolo concluiu com seu testemunho, ressaltando as cinco verdades doutrinárias que havia revisto.

“O testemunho sagrado e pessoal que agora lhes declaro é independente de qualquer outra pessoa e transcende os cinco sentidos físicos. Testifico que Deus, o Pai Eterno, é nosso Pai, e Ele é o autor do plano de felicidade. Além disso, testifico que Jesus Cristo é o Filho Unigênito e Amado do Pai; Ele é nosso Salvador e nosso Redentor. Seu sacrifício expiatório é central e essencial para o plano do Pai”, disse Élder Bednar.

“Testifico que o Pai e o Filho apareceram ao menino Joseph Smith, iniciando assim a restauração do evangelho de Jesus Cristo nos últimos dias. E testifico que a restauração está em andamento. Os céus não estão fechados, e o Salvador continua a revelar Sua mente e vontade a Seus servos, os profetas. Os convênios e ordenanças do evangelho nos unem com o Senhor ressurreto e vivo.”

A irmã Susan Bednar fala em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022.
A irmã Susan Bednar fala em um devocional no Instituto de Religião de Salt Lake City, na Universidade de Utah no domingo, 28 de agosto de 2022. | Ben B. Braun, Deseret News
NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.

Saiba mais sobre as recentes doações da Igreja para hospitais e organizações de saúde no Camboja, Guam, Mongólia e Filipinas.

O então élder Rendell N. Mabey batizou no mar o fiel pioneiro Billy Johnson, em 1978. Agora, seus respectivos bisneto e neto estão servindo juntos na Missão Acra Gana

Primeira Presidência divulga ilustrações do exterior dos templos de Lone Mountain Nevada, McKinney Texas e Birmingham Inglaterra

A localização do Templo de Vancouver Washington foi divulgada há menos de 5 meses depois que a nova casa do Senhor foi anunciada.

Veja projetos humanitários recentemente realizados na Romênia, Itália, Rússia, Cazaquistão, Belarus e Portugal

No primeiro concerto do Coro e Orquestra do Tabernáculo em sua turnê pelas Filipinas, Élder Neil L. Andersen destacou o talento e a dedicação do público e dos artistas.