Menu

Élder Uchtdorf se reúne com ramos em inglês e árabe do Cairo para reunião sacramental

Servindo a capital egípcia de mais de 20 milhões de habitantes, a maior área metropolitana da África, estão o Ramo Cairo (inglês), criado há quase 50 anos, e o Ramo Rio Nilo (árabe), criado há vários anos

CAIRO, Egito — A reunião sacramental da manhã de sexta-feira começou em uma casa alugada, aninhada entre edifícios de apartamentos e residências em Maadi, um subúrbio de ruas arborizadas no Cairo, Egito, que é cortado ao meio pelo rio Nilo e ladeado por areia e deserto aparentemente intermináveis. A inconfundível melodia de “Sou um Filho de Deus”, o hino de abertura, é cantada em inglês e árabe.

Com a maior área metropolitana da África, com mais de 20 milhões de pessoas, tendo surgido do berço de um antigo reino onde a linha do horizonte, antigamente populada por pirâmides imponentes, é hoje unida por minaretes, mesquitas, castelos e altos edifícios modernos, um pequeno grupo de santos dos últimos dias, com pouco mais de 100 membros, se reúne em silêncio, ouvindo os ensinamentos e testemunho de um Apóstolo moderno.

A Pirâmide de Quéfren, uma das três pirâmides primárias no planalto de Gizé, e a Esfinge são iluminadas durante um show de luz e som no Cairo, Egito, no sábado, 15 de abril de 2023.
A Pirâmide de Quéfren, uma das três pirâmides primárias no planalto de Gizé, e a Esfinge são iluminadas durante um show de luz e som no Cairo, Egito, no sábado, 15 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

E apesar do que poderia ter sido visto como uma série de reviravoltas e contrastes em relação ao dia, idiomas, cenário e circunstâncias, Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos, disse que a reunião sacramental combinada de 14 de abril, com os membros do Ramo Cairo (inglês) e Ramo Rio Nilo (árabe), foram evidências do “evangelho universal de Jesus Cristo e de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias como uma Igreja global.”

‘Isso nos une como uma comunidade’

Observando que as orações sacramentais da reunião foram feitas em árabe, Élder Uchtdorf disse: “Todos nós sabíamos o que isso significava. Deixamos o Espírito nos guiar, o Espírito nos guiará para entendermos, sentirmos e depois agirmos.”

Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, discursa durante uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, discursa durante uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

Ele também destacou como a ordenança do sacramento pode ser uma experiência unificadora, apesar das diferenças. “O sacramento é uma daquelas coisas em que nos unimos como uma comunidade de santos”, disse ele, acrescentando que a maioria das ordenanças é realizada individualmente: batismo, bênção de bebês, ordenanças do templo etc..

“Mas no sacramento, somos todos nós e [ele] nos une como uma comunidade. É uma das razões pelas quais amamos nos reunir, para participar do sacramento e sermos lembrados do Salvador, que é o centro de tudo”, disse ele, enfatizando aos membros do ramo que “Jesus Cristo é a sua força.”

A irmã Harriet Uchtdorf abraça sua intérprete, Tina Fakir, enquanto discursava em uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
A irmã Harriet Uchtdorf abraça sua intérprete, Tina Fakir, enquanto discursava em uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

A irmã Harriet Uchtdorf, que se juntou aos outros oradores da reunião: presidente Mark R. Spencer, presidente do Distrito Cairo Egito, e ao presidente Marcous Baher, presidente do Ramo Rio Nilo, com a irmã Uchtdorf, disse que estava fazendo sua primeira visita ao Egito.

Reconhecendo o tesouro histórico de antiguidades preciosas do Cairo, ela então falou de sua própria conversão ao evangelho e sua coleção duradoura de “tesouros eternos”, incluindo o conhecimento do plano de salvação, a inspiração do Espírito Santo e a orientação necessária dos profetas e apóstolos modernos.

Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, tira uma selfie com Benson Barlow, após uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, tira uma selfie com Benson Barlow, após uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

Após a reunião, os membros do ramo se reuniram com Élder e irmã Uchtdorf no pátio atrás da casa, para cumprimentos pessoais, uma refeição leve e uma foto em grupo.

Blessing Yahana, um nativo da Nigéria que agora mora no Cairo disse: “Foi como um sonho que se tornou realidade. Sempre quis conhecer um Apóstolo. Sim, é a primeira vez que encontro um Apóstolo e aperto sua mão.”

Os santos dos últimos dias do Cairo participam de uma reunião sacramental com os dois ramos do Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Os santos dos últimos dias do Cairo participam de uma reunião sacramental com os dois ramos do Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

O início do ramo em 1974

O Ramo Cairo é a unidade da Igreja em operação contínua mais antiga no Oriente Médio, disse o presidente Nathaniel A. Ayer, com o presidente do ramo observando que alguns ramos da área podem ter sido criados anteriormente, mas também passaram por algumas interrupções em algum momento.

O ramo foi organizado em 1974 [em inglês], quando dois alunos, Dilworth B. Parkinson e John Sharp, chegaram ao Cairo para estudar intensivamente o árabe, se reuniram com Carol Azeltine, professora de uma universidade internacional no subúrbio de Digla, e começaram a realizar reuniões santos dos últimos dias no jardim da universidade americana no centro do Cairo. Mais tarde, indivíduos e famílias se mudaram para lecionar, trabalhar para companhias de petróleo e outras, se reunindo nos apartamentos uns dos outros em Maadi e depois, a partir de 1981, em uma casa alugada.

A atual casa de dois andares com ar-condicionado na Estrada 17, em Maadi, é usada desde o final de 1992. E as reuniões dos santos dos últimos dias no Cairo são realizadas às sextas-feiras, consideradas pelos muçulmanos nacionalmente como o dia sagrado da semana, assim como shabbat, o dia de descanso judaico, é observado em Israel.

O sol se põe em uma mesquita no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
O sol se põe em uma mesquita no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

Com uma frequência semanal média de mais de 40 pessoas, o ramo hoje é composto principalmente por santos dos últimos dias e famílias que foram para o Cairo por causa do emprego na comunidade diplomática internacional, ou nos sistemas educacionais que sustentam essas famílias, disse o presidente Ayer, que administra remotamente uma empresa nos Estados Unidos, e está no Cairo com sua esposa, Hilary, e quatro filhos.

O Ramo Cairo realiza uma videoconferência via Zoom de suas reuniões de sexta-feira para membros que residem em outras partes do Egito, na Argélia e áreas vizinhas. “Algumas dessas famílias estão tão espalhadas que não têm outros jovens ou membros nas cidades onde moram”, disse o Presidente Ayer.

As restrições do governo impedem que o ramo anuncie sua presença, “mas os membros da Igreja são bem-vindos para se juntarem a nós”, acrescentou, se referindo a viajantes e turistas que possam estar interessados em participar, e para que estejam cientes da programação da manhã de sexta-feira.

O rio Nilo atravessa o Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
O rio Nilo atravessa o Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

‘O ramo é minha tábua de salvação’

Aos 71 anos, Phyllis Jensen Ali não é apenas o membro mais antigo do ramo, mas também a que frequenta há mais tempo, tendo começado em 1984 quando se mudou com seu marido egípcio e três filhos, com menos de 4 anos, para o Cairo, para que os filhos pudessem aprender árabe e eles pudessem estar perto da família de seu marido. Depois que o marido começou a trabalhar, ela começou a lecionar em uma escola americana e achou o Cairo “um lugar maravilhoso para criar os filhos.”

Mesmo com o retorno de sua família aos Estados Unidos por vários anos na década de 1990, Ali tem sido um dos pilares do Ramo Cairo, se lembrando da mudança de uma casa menor para uma capela, e casais missionários que anteriormente lideraram o ramo durante suas quatro décadas no Egito. “O ramo tem sido minha tábua de salvação, disse ela, se lembrando das visitas apostólicas de Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, há cerca de quatro anos [em inglês], e de Élder Jeffrey R. Holland e de Presidente Boyd K. Packer, o falecido Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos, antes disso.

Mariam Hanna durante uma reunião sacramental do ramo Cairo no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Mariam Hanna durante uma reunião sacramental do ramo Cairo no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

“Os outros membros precisam entender que a Igreja no Cairo é a mesma onde quer que você vá”, disse Ali. “Ainda fazemos as mesmas coisas, é um ramo muito unido e somos como uma família. Quando alguém não vem à Igreja, você fica olhando em volta e pensando: ‘Preciso ligar para essa pessoa e ver o que está acontecendo’. Nós realmente cuidamos uns dos outros. E quando alguém se muda, estamos lá com eles e os ajudamos.”

Observando que seu marido não é membro, Ali disse: “Ele vai à mesquita, eu venho à Igreja e nos encontramos em casa.”

Ali e Robyn Larsen, outro membro do ramo, foram os primeiros a chegarem na sexta-feira e aguardarem a chegada dos Uchtdorfs.

Larsen está em seu terceiro ano lecionando na Schultz American School em Alexandria, a mais de 210 quilômetros de distância, na costa norte do Egito. Assistir às reuniões significa que Larsen enfrenta uma viagem de trem ou com um motorista contratado de duas a três horas cada trecho.

Dokol Juma participa de uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Dokol Juma participa de uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

“Temos alguns membros realmente excelentes entre os dois ramos”, disse Larsen, acrescentando que eles mantêm contato pelo WhatsApp. “Para mim, que sou alguém que mora longe, ainda é bom ter essa conexão, pois sei que tenho amigos e pessoas aqui em quem posso confiar.”

‘A Igreja no Cairo está crescendo’

O Distrito Cairo Egito abrange todo o norte da África, do Marrocos ao Egito até o Sudão, e inclui um ramo no Marrocos e na Tunísia, e os dois ramos no Cairo, disse o presidente Spencer, reconhecendo os membros espalhados em Alexandria, Argélia e Sudão que se juntam às reuniões do Cairo via Zoom.

Um vendedor ambulante prepara comida após o pôr do sol, para os muçulmanos que observam o Ramadã no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Um vendedor ambulante prepara comida após o pôr do sol, para os muçulmanos que observam o Ramadã no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

E o distrito inclui falantes de inglês, africanos ocidentais falantes de francês na Tunísia, falantes de árabe no Marrocos, sul-sudaneses e cristãos egípcios, disse o presidente Spencer, que com sua esposa leciona em uma escola onde seus filhos também estudam.

Ao visitar os Estados Unidos recentemente, ele fez compartilhou com amigos uma ideia do tamanho de seu distrito, comparando a distância entre Cairo e Casablanca, no Marrocos, com a cidade de Nova York, em Nova York, a São Francisco, na Califórnia. “É como se cruzasse os Estados Unidos, então isso os ajudou a terem uma ideia de quão grande é a área do distrito.”

Escrituras em uma capela no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Escrituras em uma capela no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

Os Spencers moraram no Cairo anteriormente, de 2006 a 2008, antes de retornarem há vários anos. “É importante que os membros saibam que a Igreja no Cairo está crescendo”, disse o presidente Spencer, tendo testemunhado as diferenças desde sua primeira estada até hoje, incluindo a adição do ramo árabe há vários anos.

‘Um membro desta família’

O presidente Baher, do Ramo Rio Nilo, se converteu à Igreja há cinco anos, na época em que os líderes do distrito local e do ramo começaram a considerar seriamente a formação de uma unidade de língua árabe. Os membros do ramo incluem santos dos últimos dias que são refugiados do Sudão do Sul e de outras áreas de língua árabe, bem como cristãos egípcios convertidos.

“Eu poderia lhes falar por horas e dias contando sobre o que aconteceu e que tipo de milagres e coisas incríveis aconteceram nos últimos cinco anos e no Ramo Rio Nilo”, disse ele. “Mas me deixe lhes dizer em uma pequena frase: agora temos uma pequena família de filhos de Deus no Egito, que consiste em membros egípcios e sudaneses e outros, e é uma pequena parte da coligação de Israel. E está funcionando no Egito.”

Mina Sobhy é a prova disso. O médico que trabalha em um laboratório médico local se converteu há várias semanas. Ele compareceu às reuniões de sexta-feira, cumprimentando membros dos ramos e visitantes, animado para compartilhar sua conversão e se conectar no WhatsApp, compartilhando pequenos bilhetes com seu número de telefone e uma mensagem dizendo: “Sinto-me muito honrado e abençoado por conhecê-lo. Deus o abençoe.”

A pirâmide de Gizé no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
A pirâmide de Gizé no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News

O presidente do ramo e nativo do Cairo chama o Ramo Rio Nilo de “um ramo pequeno e promissor”, com cerca de 50 membros. “Não posso dizer mais do que ‘Graças a Deus por nos mostrar um caminho e nos ajudar a mostrar um caminho a nossos irmãos e irmãs.’”

Acompanhado pelo presidente do distrito, o presidente Baher recentemente viajou para receber suas investiduras no Templo de Roma Itália, e espera o mesmo para outros membros do ramo. “Ao pensar nesta experiência no templo, sinto um desejo semelhante por todos os membros aqui no Egito.

O diretor assistente local do Banco Mundial no Egito e professor de inglês resume seu crescimento de cinco anos no evangelho: “Foram cinco anos de felicidade, paz e alegria. Tenho muito orgulho de fazer parte desta família.”

Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, a irmã Harriet Uchtdorf, posam para uma foto com os membros locais, após uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023.
Élder Dieter F. Uchtdorf, do Quórum dos Doze Apóstolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e sua esposa, a irmã Harriet Uchtdorf, posam para uma foto com os membros locais, após uma reunião sacramental com os dois ramos no Cairo, Egito, na sexta-feira, 14 de abril de 2023. | Jeffrey D. Allred, Deseret News
NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.