Menu

3 maneiras pelas quais o perdão pode beneficiar sua saúde física e mental

Loren L. Toussaint compartilha alguns dos benefícios cientificamente comprovados do perdão à saúde

Há cerca de 25 anos, os cientistas sociais não sabiam praticamente nada sobre como o perdão poderia estar relacionado à saúde física e mental. Hoje, Loren L. Toussaint, especialista em perdão e saúde, pode dizer que há benefícios tangíveis e positivos.

“Acho que todos estão naturalmente interessados e precisam de perdão, de uma forma ou de outra”, disse Toussaint ao Church News.

“Talvez seja uma daquelas coisas que faz parte da própria estrutura da nossa humanidade, [o fato de] que precisamos pedir e oferecer perdão, e precisamos fazê-lo livremente. Acredito que nos anos que passei estudando e ensinando sobre o perdão, isso ficou imensamente claro: é verdadeiramente uma experiência humana que se aplica a todos nós.”

Professor de Psicologia na Luther College [em inglês], Toussaint também é presidente do Discover Forgiveness Advisory Council [Conselho Consultivo de Descobertas do Perdão] da Templeton World Charity Foundation [Fundação Templeton de Caridade Mundial – em inglês] e presidente da Forgiveness Foundation [Fundação do Perdão – em inglês].

Recentemente, ele participou do podcast do Church News [em inglês] para discutir os benefícios cientificamente comprovados do perdão. Ele destacou três maneiras pelas quais o perdão pode beneficiar a saúde física e mental.

Loren Toussaint é professor de Psicologia na Luther College e documenta os benefícios do perdão.
Loren L. Toussaint, professor de Psicologia na Luther College, participou do podcast do Church News para falar sobre os benefícios do perdão para a saúde. | Luther College

1. O perdão pode ajudá-lo a lidar com o estresse

O estresse é uma resposta adaptativa que é boa para as pessoas, disse Toussaint, mas nem sempre deve ser ativada. “Ficar teimosamente zangado com algo que aconteceu há 10 anos, entre você e outra pessoa, expõe seu corpo a muito... estresse contínuo de que realmente não precisamos.”

O aumento dos hormônios do estresse afeta o funcionamento do coração e de outros órgãos, e cria tensão muscular adicional, explicou ele. “Ele faz coisas em nosso cérebro, que não são particularmente úteis para nós. …

“A ideia de que o perdão está ligado à nossa saúde física está em grande parte relacionada à nossa capacidade de reduzir nossas respostas estressantes ao sermos magoados. E o perdão é muito bom nisso. É uma resposta calmante à dor, que nos ajuda a acalmar essas emoções negativas, nos ajuda a lidar de maneira eficaz com uma experiência estressante e realmente atenua, diminui, a intensidade dessas respostas negativas que afetam tanto o nosso bem-estar físico.

HISTÓRIA RELACIONADA
Episode 152: Forgiveness expert Loren L. Toussaint on the health benefits of forgiving

2. O perdão pode ajudar a evitar a tendência de ruminar

A pesquisa descobriu que, quando alguém é ofendido ou magoado, pode ser difícil para essa pessoa esquecer o que aconteceu. “Na ciência psicológica, chamamos isso de processo de ruminação”, disse Toussaint.

“Nós continuamos pensando, repensando, pensando demais e reanalisando. Torna-se uma espécie de rodamoinho para o qual somos sugados. E por meio desse processo, acabamos tendo alguns impactos bastante negativos em nossa saúde mental. …

“O interessante sobre o perdão é que ele nos ajuda a acalmar essa tendência de continuarmos ruminando, e de continuarmos repassando isto repetidas vezes e analisando demais. E isso significa que estamos quebrando o mecanismo que nos leva a este tipo de lugar ruim.”

Um aspecto do trabalho de intervenção no perdão é tomarmos a decisão de perdoar, decidirmos deixar para lá e não ficarmos presos a isto. “E isso é realmente benéfico para a nossa saúde mental, por razões óbvias, porque você não carrega o peso daquela coisa e não fica pensando nisso o dia inteiro”, disse ele.

Ao pedir por perdão àqueles que O crucificaram, o Salvador “nos ensinou a amar nossos inimigos, a fazer o bem aos que nos odeiam e até orar por aqueles que nos maltratam”, disse o Profeta.
Ao pedir por perdão àqueles que O crucificaram, o Salvador “nos ensinou a amar nossos inimigos, a fazer o bem aos que nos odeiam e até orar por aqueles que nos maltratam”, disse o Profeta. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

3. O perdão pode ajudar a viver ‘sua vida plena’

Quando questionado sobre seu conselho para quem precisa buscar ou oferecer perdão, Toussaint disse para ser aberto. “Permaneça aberto à possibilidade de ser perdoado… e permaneça aberto à possibilidade de perdoar.”

“O perdão simplesmente nos toca de uma forma, que acho que nem sequer começamos a captar em sua íntegra”, acrescentou. “Há tantos pontos positivos. Já falamos sobre saúde mental e física, mas não mencionamos os benefícios para a felicidade e a melhoria da qualidade de vida, a ajuda que ele oferece às pessoas que sofrem de dores físicas e emocionais, a capacidade de ajudar a reduzir o peso do trauma.

“O perdão é apenas uma daquelas coisas que andam de mãos dadas com realmente viver sua vida plena e florescer onde quer que você esteja, o que quer que esteja fazendo e com quem quer que esteja. E então, a minha esperança e oração para todos, é que considerem o perdão, o valorizem e experimentem os verdadeiros benefícios do perdão.”

A cena de Jesus conversando com a mulher que fora pega em adultério, conforme retratado na série de Vídeos da Bíblia da Igreja.
A cena de Jesus conversando com a mulher que fora pega em adultério, conforme retratado na série de Vídeos da Bíblia da Igreja. | A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
HISTÓRIAS RELACIONADAS
O apelo e exemplo de perdão do Profeta
Como o perdão pode afetar o casamento e as relações familiares
O que pesquisas dizem sobre o perdão, saúde mental e bem-estar físico
NEWSLETTER
Receba destaques do Church News entregues semanalmente na sua caixa de entrada grátis. Digite seu endereço de e-mail abaixo.